Menor taxa de juros da história


Terminamos o ano de 2017 registrando a menor taxa de juros da história. O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) se reúne a cada 45 dias para ditar qual será a taxa Selic (taxa básica de juros da economia) com o principal objetivo de manter a inflação dentro de uma determinada meta.

Para 2017 o centro da meta era 4,5% com uma tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos, ou seja, entre 3% e 6% (fonte). A última projeção do Banco Central indicava que a inflação em 2017 terminaria em 2,9% ao ano. Isso está abaixo da inflação mínima que seria de 3%. Teoricamente, se a inflação está abaixo do limite inferior do intervalo de tolerância, isso significa que existe espaço para reduzir a taxa de juros.

A última vez que a taxa Selic atingiu valores tão baixos foi em outubro de 2012. O menor percentual até então era de 7,25% ao ano. Naquele tempo, a taxa permaneceu nesse patamar por apenas sete meses (fonte).

Se a inflação continuar em queda é muito provável que ocorra uma nova queda na taxa Selic na próxima reunião do COPOM marcada para os dias 6 e 7 de fevereiro de 2018. Alguns economistas entrevistados pela imprensa já declaram acreditar que estamos passando pelo fim desse ciclo de queda dos juros. Como você pode observar no gráfico abaixo, a taxa de juros sobe e desce em ciclos que duram vários anos.

Como teremos eleições presidenciais em 2018 é muito provável que ocorram pressões para que os juros se mantenham baixos.  Juro baixo rende uma boa propaganda eleitoral, aquece a economia e estimula o consumo. Através dos endividamentos e com o consumismo estimulado nas famílias, as empresas produzem mais, o comércio vende mais e naturalmente o desemprego diminui. Pelo menos essa é a lógica que o Banco Central costuma seguir.

O problema é que em anos eleitorais, dependendo do movimento dos candidatos nas pesquisas, temos grandes instabilidades na economia, dólar, inflação e juros.

É importante que você entenda que os juros sobem e descem em ciclos (veja o gráfico acima). Isso significa que a única certeza que temos quando o juro está muito elevado é que um dia ele irá cair. A única certeza que temos quando o juro está muito baixo é que um dia ele irá subir.

O atual ciclo de queda dos juros começou em outubro de 2016, quando a Selic estava em 14,25% ao ano. A inflação recuou de 9% para 3% ao ano criando espaço para a redução da taxa Selic.

Quando descontamos a inflação de 2,9% ao ano da taxa Selic de 7% encontramos algo próximo de 3,98% de juros reais, ou seja, juros acima da inflação (fonte). A última vez que os juros reais estiveram nesse patamar foi em 2013.

É curioso observar que esses juros reais são menores que os juros reais pagos pelos títulos públicos Tesouro IPCA no momento em que esse artigo está sendo escrito.

 

Isso mostra que mesmo com juros na sua mínima histórica, a taxa brasileira continua sendo uma das maiores do mundo. Dificilmente você encontrará investimentos de renda fixa de baixo risco com juros acima da inflação tão elevados como observamos no Brasil.

 

Observe na tabela acima os países com as maiores taxas de juros do mundo atualmente. Não é por coincidência que encontramos países com sérios problemas econômicos, crises políticas graves e até embargos envolvendo questões militares. Juros elevados são como um prêmio pelo risco de investir nesses países.

Quando descontamos a inflação da taxa de juros. encontramos o Brasil entre as maiores taxas reais do planeta. No restante do mundo o mais comum é encontrar taxas reais negativas, ou seja, a taxa básica de juros dos países mais desenvolvidos é próxima de zero ou até negativa. Observe a coluna “taxa de juros” e “taxa de inflação” na tabela abaixo:

 

Na tabela temos a lista de países com as menores taxas de juros do mundo. Observe quais são os países que fazem parte dessa lista e compare com os países da lista anterior onde estamos inseridos.

Podemos imaginar que o Brasil terá juros reais baixos (próximos de zero) quando sua economia for equivalente à de países desenvolvidos.

O problema é que economias não se desenvolvem por força do acaso ou por um golpe de sorte. Países não enriquecem por decreto. Esse desenvolvimento depende de uma sociedade educada e preparada para prosperar, enriquecer e escolher bons políticos.

Quando observamos a lista dos países menos corruptos do mundo (veja aqui) podemos notar que os países com menores juros e inflação são os mesmos que estão na lista dos menos corruptos.

Sabemos que grande parte da inflação é gerada pelo próprio governo quando ele gasta mais do que arrecada. Quando os governos são corruptos os problemas fiscais se potencializam. Esses governos que gastam mais do que arrecadam são obrigados a manter os juros elevados para que os títulos públicos que vendem sejam atrativos. Quanto menos confiável é o governo e a economia, maiores as taxas reais que ele precisa oferecer para atrair investidores.

Para refletir sobre o futuro político do Brasil que tanto impacta os juros e a inflação, assista ao vídeo abaixo com o discurso de despedida do deputado federal mais votado na história do Brasil.

Ficou mais do que claro nas palavras da sua excelência o deputado Palhaço Tiririca que a política brasileira é uma piada sem graça, uma brincadeira de mau gosto da pior qualidade, mãe de toda miséria humana que vivenciamos nos dias de hoje.

Os políticos que temos são uma representação da sociedade que temos. Eles não caem de paraquedas em Brasília.

Nossa política, economia, juros, inflação, são retratos de uma sociedade que entende pouco sobre dinheiro, economia e política. A solução não é uma questão de mudar políticos. É uma questão de mudar a mentalidade de uma nação inteira. Isso exige tempo, talvez exija um pouco mais de sofrimento.

Enquanto isso, invista na sua educação financeira para que você possa tomar as melhores decisões sobre os seus investimentos independente do ciclo de baixa ou de alta dos juros, inflação e economia. Você não tem controle sobre esses fatores, mas tem o controle sobre os seus conhecimentos e decisões financeiras. O que está em jogo é o seu futuro e o futuro da sua família.

By |08/12/2017|Categories: Notícias|203 Comments

About the Author:

Leandro Ávila é administrador de empresas, educador independente especializado em Educação Financeira. Além de editor do Clube dos Poupadores é autor dos livros: Reeducação Financeira, Investidor Consciente, Investimentos que rendem mais, e livros sobre Como comprar e investir em imóveis.

203 Comments

  1. Glaucia 8 de dezembro de 2017 at 9:14 - Reply

    Pura e triste verdade! Adorei o texto. Parabéns!

  2. Hugo 8 de dezembro de 2017 at 9:48 - Reply

    Ótimo artigo! Conheci seu blog a pouco tempo e tenho frequentado bastante, material de alta qualidade. Parabéns pelo trabalho. Abraço.

  3. Fabiana 8 de dezembro de 2017 at 9:49 - Reply

    E agora com essa provavel subida dos juros, ja vale a pena trocar o tesouro pos pelo pre? Duvida cruel 🙂

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 10:30 - Reply

      Oi Fabiana. É difícil prever, para não dizer impossível, por quanto tempo os juros vão se manter nesse nível ou quando vão subir novamente. Se depender dos políticos que temos deve demorar para o Brasil atingir taxas equivalentes as praticadas no exterior.

    • Cássio Pacheco 8 de dezembro de 2017 at 13:57 - Reply

      Desculpa me intrometer, mas Fabiana você está com o pensamento equivocado quanto à escolha dos títulos.
      O Pré-fixado adianta as expectativas, logo, aplica-se nele caso você acredite que os juros cairão mais do que a expectativa de mercado ou subirão menos no futuro em relação à expectativa de mercado.
      O que está acontecendo na prática é o movimento inverso: migração do pré para o pós…a não ser que você acredite que o afrouxamento monetário será maior ainda…daí sim vale arriscar no pré.

      • Vailton 16 de dezembro de 2017 at 9:42 - Reply

        Eu estava quase para responder mas VI que o Cassio respondeu certinho!

  4. Raphael 8 de dezembro de 2017 at 9:58 - Reply

    Olá Leandro,
    parece que os gráficos não estão no artigo ou é problema de permissão da minha máquina?

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 10:48 - Reply

      Oi Raphael. Provavelmente você está acessando o site através dos computadores de uma empresa (como a empresa onde você trabalha) e essa empresa faz bloqueio de imagens.

      • sandro 14 de dezembro de 2017 at 7:16 - Reply

        Aqui tem esse problema, só vejo os gráficos em casa. Ainda bem que os textos são bem completos. Obrigado Leandro.

  5. André Maciel 8 de dezembro de 2017 at 10:07 - Reply

    Parabéns pelo esclarecimento e riqueza de conteúdo, nós como povo, temos o poder de decisão em nossas mãos, buscar e consumir conteúdo sobre finanças certamente irá nos enriquecer, não só na parte financeira mas certamente em sabedoria.
    Obrigado por compartilhar.

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 10:47 - Reply

      Oi André. As pessoas que não entendem o funcionamento da economia e as relações dela com os políticos votam em pessoas que prometem o que não podem cumprir. Normalmente são pessoas que acreditam que o governo é grátis, que os políticos distribuem caridade e recursos gratuitos. Conhecer sobre o funcionamento do mundo do dinheiro é fundamental em uma sociedade que tem como base o dinheiro.

  6. Joanatan 8 de dezembro de 2017 at 10:09 - Reply

    Obrigado Lenadro por sua palavras.precisamos muito de você como lider.tenho notado a frequência dos artigos esta diminuindo.
    Qual o motivo Mestre?

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 10:41 - Reply

      Oi Joanatan. Planejando e preparando o que será feito em 2018

  7. Aline Amaral 8 de dezembro de 2017 at 10:12 - Reply

    arrasou no texto… top

  8. Leonardo 8 de dezembro de 2017 at 10:16 - Reply

    Excelente matéria Leandro!, explicou exatamente o que está acontecendo com nosso Brasil.

  9. Liza 8 de dezembro de 2017 at 10:17 - Reply

    Prêmio abacaxi pro Tiririca!!

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 10:39 - Reply

      Descascar abacaxi na praia. É o retrato da população liderada por esses políticos.

  10. Henrique R PAULA 8 de dezembro de 2017 at 10:21 - Reply

    Boa reflexão Leandro.

    O que me causa mais espanto é concluir que a tendência é de piora no cenário político. A maioria corrompida desestimula qualquer pessoa de bem a entrar na vida política.

    Quanto à análise econômica, não consigo imaginar o que pode rolar. O primeiro colocado nas pesquisar de intenção de voto para eleição de 2018 não tem projeto econômico, tem projeto de poder, o segundo colocado é uma pessoa desprezível e despreparada, a terceira via (PSDB) não sabe se briga ou produz algo de útil. Ciro Gomes que talvez fosse uma possibilidade a ser estudada, já disse wue não acredita na matriz do tripé econômico.
    Não será fácil escolher o presidente ano que vem com os que aí estão. Consequentemente, se torna dificílimo prever o rumo econômico do país pós 2018.

    O negócio é continuar estudando e fazendo nossos investimentos com cautela.

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 10:56 - Reply

      Oi Henrique. Creio que são todos farinha do mesmo saco. Brigam na nossa frente e se abraçam nos bastidores defendendo interesses próprios. Eu acredito que a solução está em estimular as pessoas para que foquem tempo e energia promovendo o próprio desenvolvimento pessoal. Isso significa assumir o controle da própria vida, buscar informações por conta própria, adquirir conhecimentos, desenvolver habilidades, criar, inovar, trabalhar, empreender e transformar a própria vida sem esperar nada de ninguém. Ao fazer isso, de forma indireta, as pessoas também estarão impactando os demais positivamente. No lugar de esperar um herói, cada um precisa se tornar herói da própria vida. A mudança precisa começar na vida de cada pessoa, família por família. Ela não virá de cima para baixo, virá de baixo para cima.

      • Deyse Medeiros 8 de dezembro de 2017 at 23:20 - Reply

        Excelente comentário. É exatamente nisso que acredito. Em geral os brasileiros reclamam muito da política e dos políticos, mas se esquecem de olhar para as próprias vidas e se perguntar o que podem fazer para melhorá-las. É fundamental assumir o controle e a responsabilidade pela própria vida. As boas escolhas nas urnas virão como consequência. Aproveitando o exemplo do seu texto, Tiririca foi eleito com número recorde de votos e saiu porque quis, não porque nós como povo paramos de votar nele. Isso mostra que temos um longo caminho pela frente. Sempre em frente!

        • Leandro Ávila 9 de dezembro de 2017 at 9:26 - Reply

          Oi Deyse. As pessoas precisam acordar para o fato de que somente elas podem cuidar do próprio crescimento pessoal. É isso que vai fazer a diferença. Inclusive é esse cuidado com o crescimento pessoal que vai gerar novos políticos no futuro. O que não falta é gente mal-intencionada que tem força de vontade, determinação, coragem para lutar pelos seus objetivos mal-intencionados, enquanto as pessoas boas estão paralisadas, reclamando da vida, esperando que um político resolva seus problemas pessoais, pois tem medo, vergonha, preguiça de buscar a solução.

      • Pedro Dias 11 de dezembro de 2017 at 13:30 - Reply

        O seu artigo já foi genial! Agora esse comentário: fechou com nota 1000. Parabéns, Leandro 🙂

  11. Carolina 8 de dezembro de 2017 at 10:22 - Reply

    Bom dia Leandro, estou com dificuldades em visualizar as imagens e gráficos deste artigo. Você teria alguma recomendação para me passar? Muito obrigada

  12. Georges 8 de dezembro de 2017 at 10:28 - Reply

    No caso, não seria “vossa excelência”, porque você não está falando “com” o deputado (segunda pessoa) mas sim “do” deputado (terceira pessoa); então o correto seria “sua excelência o deputado”.

  13. Tiago Xavier 8 de dezembro de 2017 at 10:38 - Reply

    Olá, Leandro.

    A taxa básica de juros sendo reduzida, na realidade isso não significa
    uma grande vitória, até mesmo porque se fomos analisar as taxas que
    são cobradas pelos bancos para se fazer um empréstimo, absurdo….

    Infelizmente temos muitas famílias que não se preocupa em se educar financeiramente,
    o Brasil tem uma taxas de juros reais muito elevada, quem consegue enxergar benefícios
    mediante essa situação, consegue bons retornos.

    A nossa classe politica é uma grande decepção, vergonha, pois, não está nem ai para o nosso pais.
    Cabe a nos buscar conhecimentos, sabedoria para que não venhamos a padecer diante de um grupo
    de pessoas “classe politica” que só faz barbeiragem….

    Acredito sim, que a única maneira de transformar um pais é através da educação…não tem outro caminho,
    pois, uma sociedade com sabedoria, jamais colocaria qualquer pessoa para decidir o futuro de um pais.

    Excelente artigo…

    Grande abraço…

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 11:03 - Reply

      Oi Tiago. É exatamente isso. Uma população educada é mais difícil de ser enganada. O problema é que não adianta ficar esperando a educação promovida pelo governo. Cada pai e mãe de família precisa se esforçar para oferecer uma boa educação para os seus filhos. Isso não se limita ao que se aprenda na escola. Precisamos parar de gastar tanto tempo com bobagens e distrações e começar a estudar o funcionamento do mundo, da economia, da política e das coisas que afetam a nossa vida. A ignorância da população é explorada por políticos, é explorada por instituições financeiras, empresas das mais diversas indústrias como a da alimentação. A ignorância é a base que sustenta muitos setores. O combate a essa ignorância precisa ser individual.

      • Karina 11 de dezembro de 2017 at 19:30 - Reply

        Leandro,

        Como seria esse combate a ignorância que você fala?

        • Leandro Ávila 13 de dezembro de 2017 at 8:16 - Reply

          Existem sites como esse, livros, cursos, canais no Youtube, etc. Tudo começa do reconhecimento da própria ignorância e da força de vontade individual para sair dessa situação. É um processo que exige esforço individual. Ninguém pode estudar e aprender por nós.

  14. Thayani 8 de dezembro de 2017 at 10:43 - Reply

    Sensacional seu artigo, Como sempre! Compartilho de suas ideias já a um bom tempo. Não adianta nada colocar a culpa nos políticos se você joga lixo na rua, fura a fila ou não devolve um troco errado. O nosso lindo país ainda tem jeito. não sei se ainda estarei aqui para presenciar este momento, mas estou fazendo minha parte para deixar este país melhor para as futuras gerações.

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 11:08 - Reply

      Parabéns Thayani. Ao fazer a sua parte você torna o mundo que toca sua vida um pouco melhor. Já a pessoa que fura fila, se aproveita do troco errado, tira proveito da fragilidade do outro, está passando pelo mundo para torná-lo pior. É um legado vergonhoso saber que o mundo seria melhor se a pessoa não tivesse existido.

  15. Helder 8 de dezembro de 2017 at 10:56 - Reply

    Excelente texto. Didático, sintético e objetivo. Poupa grande parte do nosso tempo ler o seu conteúdo ao invés das matérias sensacionalistas sobre o mesmo tema. Sempre tem gente querendo ganhar em cima da ignorância, aliás é exatamente por isso que estamos onde estamos. Parabéns pelo seu trabalho Leandro, tenho certeza de que você está fazendo a sua parte no desenvolvimento desse país.

  16. Claudio 8 de dezembro de 2017 at 10:59 - Reply

    Belo artigo! Bem didático.

  17. Joel Alcantara 8 de dezembro de 2017 at 11:00 - Reply

    Grande deputado Tiririca … faz um belo discurso, mas depois dá uma entrevista triste ao Antagonista https://www.youtube.com/watch?v=nMVDESllsyM

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 11:34 - Reply

      Oi Joel. É natural que o Tiririca apoie o Lula. O Lula “deu” para a população as duas únicas coisas que a ignorância delas pede: pão e circo. É por esse motivo que se ele for candidato existe uma grande chance de ser eleito. Ele vai continuar oferecendo pão e circo baseado na ideia de que “os fins justificam os meios”. Vai oferecer pão na forma de bolsas, subsídios, empréstimos e financiamentos de longo prazo, etc. Vai continuar oferecendo circo como fez ao trazer a copa do mundo e as olimpíadas para o Brasil. Para essa população carente de conhecimento, comida e entretenimento, pouco importa se para isso ele vai cometer crimes, desvios, corrupção, etc. O que importa é o pão e o circo grátis independente dos meios. Eu acredito que a probabilidade dos políticos e amigos de políticos envolvidos em crimes serem eleitos e reeleitos é enorme. Não faltam Tiriricas e Lulas nesse país.

      • Cristiana 8 de dezembro de 2017 at 19:00 - Reply

        Leandro, só uma observação: até o pão e o circo no Brasil estão longe de ser “grátis”, se fôssemos analisar bem. Caótico.

        • Leandro Ávila 9 de dezembro de 2017 at 9:17 - Reply

          Oi Cristiana. Na verdade não existe pão e circo grátis. Os antigos romanos cobravam impostos e desses impostos (dinheiro tirado da população pela força) eles compravam o pão e o circo que era distribuído. Só a população movida pela ignorância acredita que existe alguma coisa realmente grátis.

      • Lucas de Souza Jardini Machado 11 de dezembro de 2017 at 7:42 - Reply

        Oi Leandro, parabéns pelo artigo! Sensacional como sempre!

        Esse seu comentário é exatamente o que sempre digo aos meus amigos. Confesso que nunca me interessei muito por política, mas acho que na altura em que está o país, não tem como ignorar mais essa questão. Sem precisar me aprofundar muito nesses assuntos, foi nítido perceber tudo isso que disse no comentário. É pão e circo para o povo e dinheiro no bolso da elite! É por isso que divulgo ao máximo os seus e outros blogs que tem o compromisso com a verdade!

        Parabéns pelo seu trabalho!

  18. Armando G.da Silva 8 de dezembro de 2017 at 11:15 - Reply

    Excelente reflexão sobre a realidade do País.

  19. Aroldo 8 de dezembro de 2017 at 11:18 - Reply

    Parabéns pelo excelente e oportuno texto!…

  20. Magno 8 de dezembro de 2017 at 11:20 - Reply

    Como sempre Leandro, sua visão profundas das coisas! Parabéns pelo artigo.

  21. Flávio Roberto Gomes Giraldi 8 de dezembro de 2017 at 11:22 - Reply

    Ola, Leandro. Como sempre seus artigos são muito bons
    Infelizmente nossa política não é das melhores. Temos muitos maus exemplos ai escancarados. Mas é como você falou a política brasileira é reflexo da sociedade brasileira. Se temos políticos corruptos é por que temos uma sociedade corrupta. Mas como o nobre Tiririca disse não são todos, mas, infelizmente, são a maioria, e o que acontece em nosso pais tem influência dessa maioria.
    Se engana quem pensa que a corrupção acontece quando milhões são desviados, propinas vultuosas são pagas em troca de favores. A corrupção também está presente em pequenas ações do dia – a – dia, nas situações mais comuns. A corrupção acontece quando deixamos à ética, a moral e o respeito ao próximo de lado

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 11:38 - Reply

      Oi Flávio. Quando deixamos a ética e o respeito ao próximo de lado a sociedade vira uma barbárie. O resultado é o sofrimento de todos, pois na prática estão todos no mesmo barco.

  22. Guilherme dos Santos 8 de dezembro de 2017 at 11:30 - Reply

    Olá Leandro, tudo bem? Gostaria de saber sua opinião, em qual título do Tesouro Direto escolher para investir nesse momento de baixa de juros? Eu busco um médio-prazo, possuo uma reserva na poupança e quero transferi-la para o Tesouro e todo mês fazer aportes, até juntar um valor x. Num primeiro momento fiquei afim de investir no IPCA-2024, porém estou em dúvida entre ele e o Pré-Fixado-2023. Sei que é uma opinião um tanto pessoal, porém, gostaria do seu auxilio nesse momento de baixa de juros histórica, e se talvez, o momento é de esperar a Taxa Selic sair desse ciclo de redução. Obrigado desde já, fico no aguardo! Agradeço seu ótimo conteúdo, acompanho quase todas matérias que você escreve. Você é um mentor para mim. Grande abraço!

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 11:42 - Reply

      Oi Guilherme. Eu não gosto de fazer esse tipo de recomendação. Como mostrei existem ciclos. Para investir no Tesouro IPCA você precisa entender que se ficar com o título até o final você receberá inflação + a taxa fixa anual que o tesouro direto divulga. O problema é se você tomar a decisão de vender esse tipo antecipadamente. Se você comprar com uma taxa baixa e as taxas subirem no futuro o preço do título ficará menor e você poderá ter perdas nessa venda antecipada. Por isso é importante compreender claramente o funcionamento do título. É importante ter reservas de emergência para não precisar do dinheiro dos títulos Tesouro IPCA antes do vencimento. É importante aceitar a ideia de que é difícil acertar o momento certo.

  23. Carlos Alberto Barbosa 8 de dezembro de 2017 at 11:32 - Reply

    Excelente texto como sempre Leandro. Obrigado.

  24. Jaqueline 8 de dezembro de 2017 at 11:34 - Reply

    Excelente artigo!
    Adoro o seu blog e admiro o trabalho que você e outros educadores estão fazendo pelo país. Procuro conscientizar a todos que estão a minha volta e apesar de ser difícil consegui colher três bons frutos. Realmente é animador quando você consegue impactar a vida de alguém e ver sua transformação. Parabéns pelo seu trabalho e ajuda que tem nos proporcionado com seu conhecimento.

  25. Renan 8 de dezembro de 2017 at 11:44 - Reply

    Muito Bom o texto. Porém , na minha opinião, não é só questão de mudança de mentalidade, e sim, de menores poder aos governos. Redução desse Estado inchado e ineficiente. Com isso, se reduz imensamente a chance de corrupção e altos impostos. Menor regulação do estado na economia, liberdade econômica.

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 11:53 - Reply

      Oi Renan. Acho que desejar menos poder nas mãos do governo e mais liberdade na vida das pessoas é uma questão de mudança de mentalidade. As pessoas são educadas acreditando que existe uma “entidade suprema” chamada “Governo” onde existem super-heróis capazes de resolver todos os problemas do mundo. É quase uma insanidade. Todos sabem que dentro dos governos não existem heróis, sábios ou pessoas moralmente evoluídas preocupadas com o bem do próximo. Mesmo assim as pessoas acreditam que o governo precisa resolver todos os problemas. No governo existem pessoas comuns, gente ruim e gente boa, um retrato da sociedade, onde a maioria está mais preocupada em trabalhar o mínimo possível e ganhar o máximo possível, preocupadas em chegar cedo em casa para curtir o jogo da próxima rodada, preocupada com seus problemas pessoais, com a viagem de férias, com as curtidas que recebem nas redes sociais. Todos olhando para o próprio umbigo. Isso é a sociedade que temos e esse é o tipo de governo que temos. Sem essa mudança de mentalidade governantes mentirosos, que se apresentam com heróis, como resolvedores de todos os problemas, continuarão eleitos.

  26. Natália 8 de dezembro de 2017 at 12:35 - Reply

    Leandro, boa tarde! Sou leitora assídua de seus textos e recomendações. Excelente texto!

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 13:34 - Reply

      Oi Alvaro. Imagine que você é o dono de um banco. Você certamente terá um único objetivo que é obter o máximo lucro possível para cada R$ 1,00 que você empresta para a sociedade. Ao mesmo tempo você quer pagar a menor taxa de juros possível para aquele que empresta dinheiro para você (investidores que aplicam no se banco). Enquanto existirem pessoas aceitando pagar os juros que você está cobrando e enquanto existirem pessoas aceitando as taxas de juros que você oferece em títulos de capitalização, poupança, CDB, LCI, LCA, por qual motivo você baixaria o seu lucro? Você não é dono de uma instituição de caridade. Como esse problema poderia ser resolvido? Da mesma forma que resolvemos qualquer problema de preços no mundo capitalista. Através da competição. O problema é que abrir um banco não é simples. A complexidade é proposital. Curiosamente os bancos estão entre os primeiros da lista dos que mais doam dinheiro para campanhas políticas. A ignorância financeira das pessoas ajuda muito a manter as coisas como estão.

  27. Roberto Cardozo 8 de dezembro de 2017 at 13:01 - Reply

    Aos 61 anos, já perdi a conta das vezes em que ouvi falar sobre o crescimento do Brasil, sobre seu desenvolvimento, sobre o país do futuro e por tudo que tenho visto, não acredito que tudo isso que venho ouvindo um dia terei condições de viver.

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 13:35 - Reply

      Oi Roberto. Falta mudar os brasileiros para que eles possam construir alguma coisa melhor no futuro. Isso começa dentro da cada de cada brasileiro.

  28. edmar 8 de dezembro de 2017 at 13:08 - Reply

    gostei muito do conteúdo deste documento
    Como faço para comprar os livros??

  29. Ana 8 de dezembro de 2017 at 13:11 - Reply

    Leandro,

    Ótimo texto.
    Para ter um ganho real mais elevado, vale a pena então migrar do TD Selic para o TD IPCA +2024?

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 13:42 - Reply

      Oi Ana. Não é possível fazer uma afirmação desse tipo com 100% de certeza sobre qual será a melhor opção. Não sabemos o que pode acontecer até 2024 e você só terá certeza sobre qual opção será a melhor em 2024. O Tesouro Selic vai seguir a taxa Selic até 2024 e até lá teremos duas eleições (2018 e 2022). É impossível saber quem vencerá essas eleições e o que será feito com relação aos juros. Impossível saber o que esse político vai aprontar, qual será a equipe econômica e quais decisões irão tomar. No caso do Tesouro IPCA você terá uma parte da rentabilidade previamente fixada e outra que vai flutuar dependendo da inflação futura. Se isso é bom ou ruim depende do futuro.

    • Ricardo 8 de dezembro de 2017 at 18:13 - Reply

      Ana,

      Você tem reserva de emergência?
      Esse dinheiro que está na Selic é para algo que tenha prazo?
      Você quer acumular patrimônio?

      Se tiver só esse dinheiro que está na Selic deixe-o lá e TODO DINHEIRO NOVO QUE ENTRAR, MONTE UMA RESERVA DE EMERGÊNCIA, URGENTE.
      Depois que fizer isso, ESTUDE PARA DIVERSIFICAR E COM O NOVO DINHEIRO COMPRE SEMPRE AOS POUCO COM OBJETIVO DE TER OUTROS INVESTIMENTOS PARA CONSTITUIR PATRIMÔNIO OU COM OUTROS SONHOS QUE QUEIRA ALCANÇAR.
      NÃO TENTE ACERTAR O MOMENTO. A resposta do Leandro é sobre isso. Se toda hora você ficar tirando e colocando em vários investimentos, terminará com menos patrimônio, pois sempre estará sustentando o sistema, pagando taxas e IR.

  30. Ricardo 8 de dezembro de 2017 at 13:19 - Reply

    Nunca, Fabiana. O Tesouro Pre vai perder pra inflação caso a inflação volte a subir. O Pre só é bom quando estamos com inflação alta e possibilidade de que o governo consiga controlá-la. Como você vê, isso era o Brasil de 2 anos atrás, agora não.

  31. Andre 8 de dezembro de 2017 at 13:39 - Reply

    Excelente artigo, parabéns.
    Leandro procuro iniciar meus investimentos em renda fixa, basicamente cdb e tesouro direto ipca . Pois bem ; hoje, com a taxa de juros em seu menor patamar, observo que, segundo o site jurus, as melhores taxas em cdb giram em torno de 120 porcento do cdi enquanto o tesouro ipca oferece 5,5 em média. De acordo com sua experiência no acompanhamento do mercado (comportamento passado) , quando estávamos com alta da selic, 14 por cento por exemplo, o percentual de 120 do cdi oferecido hj em cdb ou 5.5 oferecido pelo td ipca tendem a subir ou diminuir, enfim, qual a tendência num cenário de alta conforme o histórico. Justifico minha preocupação pelo receio de cravar uma taxa agora e num futuro próximo (7 meses, como durou o último ciclo de baixa) ver a oferta de percentuais do cdi melhores. Obrigado.

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 13:51 - Reply

      Oi Andre. Impossível saber o que teremos nos próximos meses. Para 2018 teremos eleições. Nas diversas eleições passadas foi possível observar uma grande instabilidade na bolsa, dólar e até nas taxas oferecidas pelos títulos públicos (ipca e prefixados). Existem reações a cada reviravolta nas pesquisas. Essa taxa do Tesouro IPCA sofre muita influência das perspectivas dos investidores sobre o futuro. Quando eles acreditam que a tendência é de piora da economia no futuro essas taxas futuras aumentam. Basta um candidato vitorioso com discurso que possa gerar problemas econômicos futuros para que essas taxas se elevem. O contrário também pode ocorrer. A vitória de um candidato com discursos que possam melhorar as expectativas sobre o futuro da economia podem desencadear uma queda do dólar, menos pressão na inflação e juros baixos.

  32. Isaú 8 de dezembro de 2017 at 13:42 - Reply

    Olá Leandro!
    Primeiramente parabéns pelo excelente conteúdo desse site.

    Favor me tire uma dúvida: você falou que atualmente o o ipca é maior que a taxa real. Mas já lí em outro lugar (talvez até aqui no site :D) que essa taxa do ipca na verdade não é uma taxa “verdadeira” devido ainda ter o desconto do IR. Você poderia comentar algo a respeito.
    Obrigado

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 14:00 - Reply

      Oi Isaú. Para saber a rentabilidade líquida, já com o imposto descontado, é necessário fazer uma simulação no site do Tesouro. O mesmo vale para CDB e outros investimentos onde temos cobrança da IR sobre os rendimentos.

  33. Alex F. 8 de dezembro de 2017 at 13:44 - Reply

    Oi Leandro, sempre recebo seus artigos no meu email e gosto muito deles, sempre esclarecedores. Gostaria de lhe fazer uma pergunta. A cerca de um ano e meio me mudei para o Canada, por aqui os investimentos rendem pouquissimo, cerca de 1%. Em compensacao os juros tambem sao baixos nos emprestimos e no cartao de credito. Hoje no cambio o Dolar canadense varia entre R$2,50 e R$2,60 . Ainda possuo algum dinheiro vindo do Brasil como aluguel do apartamento. Gostaria de saber se vale a pena investir em renda fixa no Brasil estando fora, se os ‘unicos riscos que corro sao no cambio.

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 13:58 - Reply

      Oi Alex. Pelo que pude ver a taxa básica anual no Canadá é de 1% ao ano e a inflação é de 1,40%. Manter dinheiro aplicado rendendo 1% ao ano enquanto o preço de todas as coisas aumenta 1,4% significa que você está perdendo o poder de compra do dinheiro, ou seja, no final de 12 meses o dinheiro aplicado não será capaz de comprar as mesmas coisas que poderia comprar no início do ano. No Brasil será mais fácil fazer o seu dinheiro render mais na renda fixa. O problema é que nesse caso também existe um risco relacionado com a variação cambial. Se o real perder valor com o passar do tempo você terá perdas. Se o real valorizar você terá ganhos adicionais.

      • Alex F. 8 de dezembro de 2017 at 14:12 - Reply

        Muito obrigado! E so pra voce saber, paga-se imposto de renda pelo lucro dos investimentos. Temos as chamadas Tax-free saving accounts que ‘e uma poupan’ca sem juros, mas o governo quem te diz exatamente qual o valor maximo que voce pode colocar l’a por ano. Ainda assim, como disse, rende so 1% a.a

  34. Bia 8 de dezembro de 2017 at 13:49 - Reply

    Amo seus textos que são claros e esclarecedores! Obrigada!

  35. rodrigo 8 de dezembro de 2017 at 13:54 - Reply

    “Os políticos que temos são uma representação da sociedade que temos. Eles não caem de paraquedas em Brasília.”

    É isso. To cansado de ver gente protestando e apontando dedos pra políticos, mas não são capazes de enxergar a própria corrupção e hipocrisia. O problema do páis não são os políticos, são a própria mentalidade do povo.

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 14:08 - Reply

      É isso mesmo Rodrigo. Temos que apontar o dedo para os nossos amigos, parentes e vizinhos quando eles estiverem na nossa frente contando as histórias de como eles tiram vantagens sobre os outros, como descumprem regras, leis, furam fila, escapam de obrigações e são “espertos”. As pessoas que fazem o que é errado precisam sentir vergonha dos seus feitos, não orgulho como é comum observar. É nossa responsabilidade repreender e até se afastar dessas pessoas.

  36. Heberson P. Stroligo 8 de dezembro de 2017 at 13:56 - Reply

    Boa tarde Leandro !

    Agradeço pelo texto, tenho lido alguns de seus livros em busca da minha liberdade financeira, que tenho certeza que alcançarei, e creio que após alcança-la contribuirei para a educação financeira de muitos, como você já o faz tão bem. Serei mais um brasileiro a buscar um país mais justo e melhor para cada um de nós. !

    Grande abraço.

    Vamos em frente !

  37. marcelo 8 de dezembro de 2017 at 14:05 - Reply

    Brilhante artigo Leandro. Só o investimento em educação nos levará a uma mudança de postura intelectual sobre economia, dinheiro e política.

  38. Fabricio Vinhas 8 de dezembro de 2017 at 14:17 - Reply

    Mais um excelente artigo. Só acho importante pontuar que ao mencionar a natureza da riqueza das principais economias, que esse desenvolvimento depende de educação da sociedade para prosperar, enriquecer e escolher bons políticos…, é bom lembrar que a prosperidade das nações ricas historicamente também está ligada à guerras, imperialismo, escravidão, controle geopolítico de recursos energéticos, venda e tecnologia de armamento,… e por aí vai. Como seria possível romper com nosso subdesenvolvimento histórico num cenário como esse?

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 15:04 - Reply

      Oi Fabrício. A riqueza dessas economias tem relação com a maneira como os políticos, empresários e pessoas desses países se comportaram diante de situações históricas específicas. Recentemente o Brasil passou por um momento que ficou conhecido como “boom das commodities”. Resumidamente os produtos que mais exportamos estavam sendo muito demandados e estavam com preço muito elevado. O envolvimento dos EUA em guerras depois do 11 de setembro ajudaram nesse processo. A economia brasileira cresceu. O que os brasileiros fizeram para aproveitar essa oportunidade histórica? Lotaram os shoppings, aeroportos, restaurantes, concessionárias e imobiliárias. Funks de ostentação eram as músicas que tocavam nas periferias. As pessoas estavam aproveitando o momento para gastar tudo que estavam ganhando. A certeza de que seria assim para sempre era tão grande que as pessoas passaram a acumular dívidas no lugar de acumular riquezas. As famílias colecionavam cartões de crédito. Era crédito rápido e fácil para todos os lados. Qualquer um era aceito na fila de compra de carros e imóveis financiados. As pessoas gastavam dinheiro como se não existisse amanhã. As pessoas não aproveitaram o momento histórico para construir patrimônio, investir, acumular ativos, prosperar e enriquecer. Elas apenas gastaram tudo que podiam e tudo que não podiam. Acumulavam passivos no lugar de ativos. O governo fez a mesma coisa. A arrecadação aumentou com o consumismo e eles aproveitaram a oportunidade para gastar mais, fazer mais dívidas e até roubar mais. O país não fez investimentos que pudessem contribuir com o enriquecimento da sociedade. Construímos estádios de futebol e deixamos muitas obras pela metade. Colocar a culpa da nossa pobreza na riqueza dos outros é a maneira mais fácil de se livrar da responsabilidade que temos. As oportunidades aparecem para todos. Nem todos estão preparados para tomar a melhor decisão diante de cada oportunidade. Por isso é importante uma população educada e preparada para enriquecer e escolher bons políticos.

  39. edmar 8 de dezembro de 2017 at 14:23 - Reply

    Leandro

    Uma dica
    Qual seria o melhor investimento de 3000,00
    prazo de 2 anos

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 15:20 - Reply

      Oi Edmar. Se esse é o único dinheiro que você tem isso precisa ser sua reserva de emergência. Isso significa que precisa ser um investimento que possa ser utilizado a qualquer momento. A quantia é pouca e nesse caso a rentabilidade influencia pouco. Existe um tipo de investimento barato, acessível, que pode mudar vidas. Esse investimento pode fazer você ter 30.000 ou quem sabe 300.000 para investir nos próximos 2 anos no lugar de apenas 3 mil. Esse investimento é a valorização da sua hora trabalhada. O valor da sua hora trabalhada depende daquilo que você sabe fazer com o seu tempo. O que você sabe fazer com o seu tempo depende do que você anda estudando. Livros e cursos são coisas baratas. Pesquise onde você pode investir uma parte desses 3 mil para aprender coisas novas ou desenvolver habilidades que podem aumentar a sua renda mensal para sempre. É isso que pode fazer a diferença quando temos pouco para investir.

    • Ricardo 8 de dezembro de 2017 at 18:26 - Reply

      Edmar,

      Você tem reserva de emergência?
      Se tiver só esse dinheiro guarde-o para momentos complicados. Até aconselho a acumular mais, em torno de 6 a 12 meses de seus gastos mensais em uma poupança.
      Depois disso, ESTUDE. depois que se sentir confiante em alguns investimentos que estudou, TODO DINHEIRO NOVO QUE ENTRAR, COMPRE SEMPRE AOS POUCOS OS INVESTIMENTOS COM OBJETIVO DE CONSTITUIR PATRIMÔNIO OU REALIZAR SONHOS.

  40. jane 8 de dezembro de 2017 at 14:24 - Reply

    Nossa que texto excelente! Vi o título no e-mail e deixei tudo o que estava fazendo para ler com calma.
    Muito obrigada por compartilhar conosco seus conhecimentos!

  41. Mariana Abreu 8 de dezembro de 2017 at 14:25 - Reply

    Boa tarde, Leandro!

    Obrigada por esse artigo tão esclarecedor. Na sua opinião, ainda é válido investir na SELIC para fundo de emergência, então?

    Att.,
    Mariana

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 15:06 - Reply

      Oi Mariana. É necessário observar que o Tesouro Selic tem cobrança de imposto de renda sobre os rendimentos e esse imposto é maior se o dinheiro ficar aplicado por menos de 2 anos. Existe uma parte da nossa reserva que provavelmente será reserva para sempre e existe outra parte onde o uso dela é mais comum. Você precisa avaliar o que é reserva para ficar aplicado por mais de 2 anos e reserva de uso mais frequente.

  42. Rodrigo 8 de dezembro de 2017 at 14:52 - Reply

    Excelente artigo Leandro. Meus parabéns.

  43. Marcos Alexandre 8 de dezembro de 2017 at 14:53 - Reply

    Excelente texto! Nossa triste realidade sim, um povo que em sua grande maioria, não tem uma ambição positiva, nem vontade de melhorar com seu próprio esforço. Fadados a serem parte de um cenário onde inescrupulosos traçam metas para si próprios. Que se multipliquem em nosso Brasil, leitores, professores, educadores e pessoas de boa vontade assim como o senhor Leandro. Parabéns.

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 15:08 - Reply

      No fundo todos estão pensando nas suas próprias metas sem perceberem que se o barco afundar por conta disso todos irão se afogar.

  44. Tatiane 8 de dezembro de 2017 at 14:54 - Reply

    Oi Leandro,

    Adoro seus textos! ainda leio pouco mas me ajudam muito. Meus parabéns! Gostaria de saber se estou no raciocínio correto. Fiz um financiamento de 150.000,00 para comprar meu apartamento. Com 13° e outras quantias que economizei consegui juntar 30.000,00, então pensei em fazer uma amortização uma vez que meu financiamento foi com uma taxa efetiva de 7,85%a.a, taxas administrativas e seguro de R$ 83,14 a.m e que tenho um perfil conservador e faço investimentos como CDB, LCI, LCA e tesouro. Com a Selic a 7% e o meu perfil é melhor realizar essa amortização no prazo do financiamento à investir nesse momento essa quantia não é?!

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 15:11 - Reply

      Oi Tatiane, eu não vou fazer as contas, mas posso dizer rapidamente que você precisa avaliar se está ganhando mais juros ou pagando mais juros sem esquecer da importância que é ter uma reserva para emergências quando temos dívidas. Se você perder sua fonte de renda (exemplo: perder o emprego) é necessário ter reservas para pagar a dívida enquanto não encontra um novo emprego. Atrasar o pagamento do financiamentos de imóveis permite que o banco tome o seu imóvel.

    • Ricardo 8 de dezembro de 2017 at 18:40 - Reply

      Tatiane,

      Faça sua reserva de emergência para 12 meses incluindo ai a parcela de seu financiamento nos gastos necessários.
      Depois, tudo o que conseguir de dinheiro novo, UTILIZA PARA ABATER O SALDO DEVEDOR.
      NENHUM INVESTIMENTO VAI SER MELHOR DO QUE A SUA DÍVIDA DA CASA.
      INVESTIR COM DÍVIDA É SE ILUDIR.

  45. Evandro Medina 8 de dezembro de 2017 at 15:03 - Reply

    Educação financeira é tema da maior importância. Benditos os educadores financeiros que prestam informações de extremo valor, como você Leandro, para aqueles que procuram compreender o sistema econômico e deixar de ser enganado pelos bancos, governos e empresas que a todo momento trabalham incessantemente para levar de nós cada centavo que conseguirem, seja de forma velada ou descarada.
    Lutemos contra nossa ignorância e preguiça para que possamos mudar a percepção de nossos parentes, amigos e consequentemente as gerações futuras.

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 15:14 - Reply

      Oi Evandro. É isso mesmo:
      “Lutemos contra nossa ignorância e preguiça de cada dia,
      e que os nossos resultados se tornem bons exemplos
      para que isso influencie nossos amigos e parentes
      para que sigam no mesmo caminho,
      colaborando para melhorar a vida de futuras gerações,
      Amem!!!”

  46. Ricardo Nunes 8 de dezembro de 2017 at 15:16 - Reply

    Parabéns Leandro,

    Muito bom artigo! Como ainda não tive a oportunidade de conhecer países europeus onde a economia e a política funcionam bem para tirar as minhas próprias conclusões. Gostaria de saber sua opinião a respeito das seguintes dúvidas:
    1 – O que acontece quando o cidadão comum Suíço ou Dinamarquês (países com taxas de juros negativo) vão ao banco no intuito de pegar um empréstimo? Se o “spread” do banco for cerca de 0,70%, o cidadão devolveria a mesma quantidade que pegou emprestado na data de quitação do empréstimo?
    2 – Ainda nestes países com juros negativos, seria a classe média desses países ativa nos mercados financeiros internos destes países ou como resultado deste cenário eles são um povo muito mais empreendedor que nós somos?

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 15:35 - Reply

      Oi Ricardo. Eu não sei como funciona nesses países específicos, mas sei que existem situações onde é como se você fosse cobrado para o banco guardar o seu dinheiro. Ele não oferece rentabilidade significativa, mas cobra para manter o seu dinheiro parado lá dentro. Nesses países a população é estimulada a fazer investimentos em renda variável ou em fundos que fazem investimentos de diversos em renda variável. Renda variável pode ser as ações de uma empresa negociada na bolsa, fundos imobiliários, investimentos em moedas, imóveis para especular ou para alugar, participação em sociedades de negócios dos outros ou abertura de negócio próprio. Nessas economias não faz sentido deixar o dinheiro parado na forma de dinheiro. Não falta dinheiro para quem resolve empreender.

  47. Tibúrcio Barros 8 de dezembro de 2017 at 15:23 - Reply

    Olá,
    Observar a história dos países bagunçados como o nosso é perceber como as coisas se repetem. E na economia a situação não é diferente. Eu tenho observado nos últimos 23 anos algumas coisas que se repetem para mim não é coincidência.
    Eleições presidenciais: 1994, 1998, 2002, 2006, 2010, 2014
    Crises cambiais/econômicas: 1998, 2002, 2014. Caso queira, pode até colocar 1994 nesta turma, em virtude da crise mexicana no início de 1995.
    Ou seja, em 50% das eleições presidenciais no Brasil, nós tivemos crises cambiais ao longo do processo (2002) ou após o processo (1998), e crise econômica ao longo da eleição (2014). Em virtude da crise da eleição presidencial no México em 1994, no início do ano seguinte houve a crise mexicana que gerou o “Efeito Tequila”.
    Ano que vem teremos eleição no México e na Colômbia, se contar países com alguma significância, além do Brasil. No México e no Brasil temos grandes chances de termos um candidato com viés de esquerda vencerem. Será que teremos outra crise no próximo ano?
    O que acha?
    Abraços
    Tibúrcio

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 15:49 - Reply

      Oi Tibúrcio. Essas crises sempre acontecem. Tudo indica que vão continuar acontecendo. O problema é sempre saber quando acontecerá a próxima grande crise.

  48. Luiz 8 de dezembro de 2017 at 15:34 - Reply

    Parabéns, Leandro. Belo artigo.
    Minha visão é parecida com a sua. Por isso, não acredito que essa taxa de juros se mantenha por tanto tempo como o mercado está querendo nos fazer crer. Foi feito muito pouco para que isso se perpetue, ainda temos um déficit monstruoso e que, em algum momento, terá que ser tratado. Isso implicará em inflação ou recessão, depende da solução a ser adotada. Por isso, vamos navegando conforme está o mar, sem bater de frente com ele.
    Abraço.

  49. Cristiano 8 de dezembro de 2017 at 16:03 - Reply

    Olá, Leandro! Como vai?

    Talvez esta seja apenas a terceira vez que faço um comentário no seu blog, o que não reflete a leitura dos seus artigos, pois, creio que já li todos ou quase todos. É possível que seja só uma impressão equivocada, mas acho que você costumava escrever com mais frequência e digo isso porque sinto falta de ler conteúdos sérios e pertinentes como os que você publica.

    Aproveitei a leitura e assisti ao vídeo do Tiririca. Acho difícil falar qualquer coisa no nosso país sem fazer alguma referência a nossa situação política. É uma situação dura e gostaria de enfatizar o verbo: ser é diferente de estar, o que nos leva à conclusão de que ela sempre foi dura, ainda que muitos de nós possamos ter boas lembranças do passado, da nossa infância, da água boa de beber, de brincar na rua,… o fato é que o Brasil sofre desmandos desde 1500 e a solução não virá na próxima eleição (com o grande exercício da democracia), a solução virá de nós, nos engajando, politicamente, sem necessariamente sermos eleitos, mas contribuindo com a nossa formação e disseminando nossos conhecimentos a outras pessoas.

    O conhecimento não apenas financeiro, que é a sua área, mas o conhecimento detido por cada pessoa na sua área de expertise: advocacia e a informação sobre direitos, cidadania; magistério e o compromisso em formar mentes críticas e pensantes; estudantes e a sua capacidade de se auto-instruir e realizar trabalhos voluntários ou estágios; religiosos e um discurso mais próximo das necessidades de suas paróquias e conscientização de sua comunidade;…

    Enfim, creio que apenas o efeito multiplicador que pode ser impresso por cada um de nós é que pode, verdadeiramente, mudar a face do cenário vergonhoso como o vivido, testemunhado e partilhado pelo deputado Tiririca.

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 16:58 - Reply

      Oi Cristiano. O problema é que a maneira como alguns religiosos lidam com o dinheiro afeta a sua pregação, cria conflitos de interesse que muitas vezes levam o religioso a comportamentos imorais em nome do dinheiro. A maneira como alguns advogados lidam com o dinheiro os levam a determinados comportamentos que muitas vezes são ilegais. A maneira como alguns políticos lidam com a ideia do dinheiro resultam em casos de corrupção e outros crimes. Curioso observar nessas investigações recentes da polícia federal, como políticos e servidores corruptos gastavam o dinheiro roubado. Eram jóias, carros de luxo, relógios caros, bolsas de grifes famosas e todo tipo de quinquilharias produzidas pelo mercado do luxo. A maneira doentia como muitos profissionais encaram o dinheiro e as coisas que o dinheiro pode comprar estimula a prática criminosa para que possam colecionar todo tipo de porcaria inútil e cara que o mercado pode oferecer para pessoas miseráveis por dentro.

  50. Oswaldo 8 de dezembro de 2017 at 16:13 - Reply

    Boa tarde, Leandro,

    Primeiramente, queria parabenizá-lo pelos seus artigos, que são bastante esclarecedores! É uma pena que as pessoas desconheçam princípios mínimos do mercado financeiro e caiam nas armadilhas que existem, ao fazerem aplicações financeiras ou obterem empréstimos/financiamentos.

    Com essa queda da Taxa Selic e consequente diminuição da rentabilidade nas aplicações de renda fixa a partir de agora e talvez durante o ano de 2018, há grande incentivo do mercado para aplicarmos em renda variável (ações). Não é este o meu perfil, mas gostaria de saber sua opinião sobre outro tipo de aplicação de risco divulgado, que são os COEs (Certificados de Operações Estruturadas). Parece que aqueles que têm ativo-objeto de boa qualidade (como ações de empresas mais sólidas), poderiam oferecer rentabilidades satisfatórias e bem superiores às das aplicações de renda fixa, mas não deixa de ser uma aplicação de risco. Qual é sua opinião sobre esses COEs de dois ou três anos?

    Quanto aos títulos do Tesouro Direto, tenho algumas aplicações em títulos pré-fixados e pós indexados à inflação, cujas curvas dos papeis estão acima das taxas contratadas, mesmo descontando-se a taxação do IR inferior há dois anos. Minha intenção não era deixar esses recursos aplicados até o vencimento, mas alienar tais ativos quando o cenário fosse favorável. No entanto, eles podem se valorizar mais, caso continue mantendo-os na carteira por mais tempo (são de médio/longo prazos). No atual cenário, valeria a pena resgatar alguns títulos e arriscar nesses COEs?

    Obrigado.

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 17:13 - Reply

      Tenho um artigo onde falo sobre COE, veja aqui. Se os juros caírem ainda mais isso será positivo para os títulos prefixados e indexados pela inflação que você possui. Tem muita corretora, por meio de seus agentes, entrando em contato com os clientes “sugerindo” resgate antecipado de títulos para que o dinheiro possa ser investido em outros produtos oferecidos pela corretora. Você de considerar que ninguém liga para você ou entra em contato pensando nos seus resultados. As empresas pensam em primeiro lugar nos resultados delas. Títulos Públicos não são produtos tão lucrativos para as corretoras e bancos. Já a oferta de COE e de fundos de investimento são ofertas lucrativas. Quanto mais essas instituições fizeram você tirar o seu dinheiro de um lugar para colocar em outro, melhor para elas. É quando seu dinheiro se movimenta que você gera lucro para as corretoras. Como educador a única coisa que posso recomendar é que você estude o funcionamento desses investimentos e estude as intensões de quem fica recomendando o movimento do seu dinheiro.

      • Oswaldo 8 de dezembro de 2017 at 18:09 - Reply

        Obrigado pelo retorno, Leandro. Li seu material sobre o COE, e, para variar, achei de excelente qualidade. Estou de fato avaliando a possibilidade de arriscar alguma aplicação nessa modalidade, conjugando o banco emissor, o ativo-objeto e uma melhor rentabilidade. Talvez comece aplicar com poucos recursos para diversificar, mas sem deixar de avaliar e comparar a rentabilidade das demais aplicações. Não estou tendo ofertas de corretores no momento, mas você tem razão. Temos que ficar atentos aos agentes do mercado financeiro, pois não existe almoço grátis. As corretoras, por exemplo, não cobram taxa de custódia para aplicações em títulos do Tesouro Direto, mas, em compensação, estimulam e sugerem que apliquemos em produtos mais rentáveis para eles. Cada produto financeiro deve ser estudado minuciosamente, e seus artigos são excelentes fontes de pesquisa. Abraço.

  51. Danilo Aedo 8 de dezembro de 2017 at 16:22 - Reply

    Sempre com textos ótimos!
    Excelente descrição associada à aula de como as rédeas dos juros funcionam aqui no Brasil!
    Seus livros “e-books’ são muito bons! Melhor investimento que fiz em anos, obrigado por compartilhar conosco !!!

  52. Tauranis 8 de dezembro de 2017 at 16:38 - Reply

    Não é por coincidência que encontramos países com sérios problemas econômicos, crises políticas graves e até embargos envolvendo questões “miliares”

    Há um erro de digitação.

  53. Cícero 8 de dezembro de 2017 at 16:58 - Reply

    Leandro, muitos analistas veem uma tendência duradoura de taxas baixas, já em 2018 com a selic podendo chegar a 6,50% e com o crescimento da economia e aprovação da Reforma, parece um cenário factível.
    Um texto muito esclarecedor sobre a Reforma, que irá combater sim os privilégios e favorecer os que ganham menos, está no Infomoney: “texto que destrói os 25 argumentos mais utilizados por quem é contra a reforma da Previdência”.
    Sds.

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 17:06 - Reply

      Oi Cícero. Precisamos ver se teremos mesmo essas reformas, como elas serão aprovadas, implementadas e se serão suficientes ou se estão apenas empurrando os problemas com a barriga. Ainda devemos lembrar que as pessoas podem votar em políticos que são contra qualquer tipo de reforma. As pessoas podem votar em políticos que prometem todo tipo solução milagrosa. Políticos eleitos no futuro podem desfazer tudo que os políticos atuais estão fazendo. O maior perigo que enfrentamos no Brasil é a ignorância das pessoas com relação ao funcionamento da economia.

  54. Reinaldo Eurico de Queiroz 8 de dezembro de 2017 at 16:59 - Reply

    Olá Leandro,

    Leio seus artigos com muito prazer e atenção, e o que mais me impressiona é a sua isenção, transmitindo-nos confiança e credibilidade.
    Continue assim e obrigado.

  55. Hugo 8 de dezembro de 2017 at 17:09 - Reply

    Boa tarde Leandro!
    Uma dúvida: com a taxa de juros alta (14%) e uma inflação de (9%), teriamos uma rentabilidade real de (5%) ao ano. Agora considerando uma taxa de juros mais baixa (8%) e uma inflação de (3%), também teriamos uma rentabilidade real de (5%) ao ano. Porque todo falam que não é mais vantajoso investir em renda fixa com a taxa de juros mais baixa, ja que o retorno real é mesmo? Seria apenas um pela sensação de sentir o dinheiro crescer mais rapidamente com a taxa de juros maior, ou não faz sentido meu raciocínio? Abraço.

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 17:24 - Reply

      Oi Hugo. Esse é o problema. Quem seriam esses “Todos” que falam essas coisas? Seriam os “educadores financeiros” que possuem canais no youtube patrocinados por corretoras? Seriam agentes autônomos de investimento que trabalham para as corretoras e que também possuem canais no youtube e blogs? Seriam sites de notícias que são de propriedade de corretoras ou que são patrocinados por corretoras e bancos e que sempre estão entrevistando funcionários dessas instituições? Seriam aquelas agências que vendem relatórios de investimento que prometem revelar qual será a próxima grande oportunidade? Devemos ter cuidado com o que “Todos” falam. Nem “Todos” estão comprometidos com a sua educação financeira. Só você está comprometido com seus resultados financeiros. Só você ganha quando entende claramente o funcionamento das coisas até o ponto em que não precisa mais ouvir o que “Todos” falam. Escutar o que “Todos” falam vai fazer você tomar decisões que beneficiam esses “Todos” que falam.

  56. Claudinei Catarino 8 de dezembro de 2017 at 17:09 - Reply

    Pessoal, que a paz de Jesus e o amor de Maria estejam convosco! Leandro, este seu texto veio na hora certinha!!!
    Como é impressionante a imagem dos números!!! Minha colega, no serviço, me fez a pergunta: Claudinei, Selic a 7, e agora?? Eu pensei, pensei, pensei (porque de 14 ou 15 para 7!! Uma paulada!!!) e respondi: amiga, 7 é um número perfeito. Mesmo em 7 ela ainda nos dá um resultado acima da inflação. Então, para nós, o tesouro direto ainda é uma boa pedida. Temos que continuar com nossas contas saneadas, temos que continuar adquirindo conhecimento de qualidade para nossa educação financeira e temos que aproveitar o Clube dos Poupadores, pois lá temos pessoas comprometidas, com as mesmas vontades que a gente, e boa parte do conteúdo (que é de qualidade) ainda é de graça. Vamos continuar estudando, aprendendo e não voltar àquela mentalidade atrasada. ela olhou pra mim e disse: Claudinei, você não é brinquedo não. Deu um sorriso e mudamos de assunto.
    Pessoal, o que quero dizer é que não podemos olhar só para a causa ou só para o efeito do número. Temos que mudar o comportamento da “ah, esta prestação cabe no meu bolso.”. Temos que estar atentos, continuar adquirindo conhecimento para certarmos nas decisões e só com educação financeira conseguiremos atingir nossos objetivos financeiros. Desculpem-me a extensão do texto.
    Agradeço a Deus por vocês existirem na minha vida e desejo a todos vocês, seus familiares e amigos, um Natal repleto de saúde, alegria, e muita paz para todas as famílias. Fiquem com Deus e até a próxima.

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 17:26 - Reply

      Obrigado Claudinei. É isso mesmo! Um ótimo Natal para você.

  57. José Murilo. 8 de dezembro de 2017 at 17:14 - Reply

    Um bom retrato que mostra claramente como o povo brasileiro é completamente ignorante quando o assunto envolve dinheiro, é a questão relacionada aos juros reais. Quando eu dava aula de matemática financeira, eu sempre insistia com os alunos para que aprendessem a calcular os juros reais de um investimento. É óbvio que, se a inflação é menor do que 3% e a taxa Selic é de 7%, o tesouro direto continua sendo um excelente investimento. Nos EUA, o investidor jamais conseguirá isso num título público isento de risco. Ô povinho burro. É por isso que o Tiririca é deputado. Ele tem a cara do povo brasileiro.

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 17:32 - Reply

      Oi José. Não somos burros, somos vítimas da nossa própria ignorância e de outros brasileiros, nossos irmãos, que tiram proveito dessa ignorância. Esse que exploram a ignorância do outro é ignorante em dobro. Não percebe que estamos todos no mesmo barco. Não percebe que todos irão afundar juntos. Nos EUA a taxa básica de juros é 1,25% e a inflação é 2,00%. São juros negativos, ou seja, emprestar dinheiro para o governo com essa taxa faz você perder poder de compra.

  58. Tiago 8 de dezembro de 2017 at 17:29 - Reply

    Parabéns, seus posts são maravilhosos.. abc.

  59. Rafael Alencar 8 de dezembro de 2017 at 17:30 - Reply

    Boa noite Leandro, como sempre você colocando matéria, com grande conteúdo esclarecedor, parabéns.
    Veja bem eu acho que não teremos eleições no ano que vem,(opinião pessoal minha), precisamos de mudanças urgente,com os políticos que estão aí hoje, sem chance de qualquer mudança, infelizmente os três poderes estão totalmente contaminados.
    O que está por vir não irá agradar muita gente,mas é o caminho a ser seguido.

    • Leandro Ávila 8 de dezembro de 2017 at 18:19 - Reply

      Oi Rafael. Só esperando mesmo para ver os próximos capítulos.

  60. Willam 8 de dezembro de 2017 at 18:18 - Reply

    Ótimo texto. Obrigado por compartilhar o conhecimento.

  61. FLAVIO NASCIMENTO CONCEICAO 8 de dezembro de 2017 at 19:15 - Reply

    No caso tenho tesouro IPCA principal 2019, esse momento qual a perspectiva de fundo do posso dos juros , e possível aumento futuro dos juros. O Correto seria vendê-los agora e comprar títulos com prazos mais longos?

    • Leandro Ávila 9 de dezembro de 2017 at 9:19 - Reply

      Oi Flávio. Não é possível prever com exatidão o que vai acontecer com os juros até 2019. Qualquer decisão será uma aposta e toda aposta possui o risco de dar certo e de dar errado.

  62. Rafael Camacho 8 de dezembro de 2017 at 19:23 - Reply

    Leandro, parabéns! Mais uma vez excelente texto e discurso acerca das nossas mazelas. Tenho divulgado muito seu blog e espero assim poder influenciar pessoas a se educarem mais e tornar esse blog ainda maior!!!

  63. Michael Stuart 8 de dezembro de 2017 at 19:24 - Reply

    Ola Leandro. Na verdade, pouco mudou com as taxas de juros do mercado nos ultimos meses. Enquanto os “decretos” e as “canetadas” nao param de acontecer com a taxa basica de juros. Assim, a distancia entre os niveis de juros de curto e longo prazo continuara a aumentar. Refletindo justamente os riscos que voce citou no artig. Fiscais, estruturais, politicas. Se o governo insistir em reduzir ainda mais a taxa basica, sem reformas verdadeiras, os juros futuros como um todo vao reagir, com força, e a taxa basica vai seguir nos trilhos. We’ve seen this picture before, although we should all strive for a better ending.

  64. Vinicius 8 de dezembro de 2017 at 20:12 - Reply

    Lenadro Ávila é um grande educador financeiro. E um mestre em agricultura.
    Planta conhecimento geral e educação básica ao nosso País.

  65. Lucas 8 de dezembro de 2017 at 21:02 - Reply

    Olá, Leandro. Só queria lhe agradecer por compartilhar seu conhecimento. Essa semana enfrentei o medo e fiz meu primeiro investimento no tesouro direto. Estou com 21 anos e com certeza começar cedo fazendo o certo vai fazer muita diferença no futuro. Obrigado.

    • Leandro Ávila 9 de dezembro de 2017 at 9:21 - Reply

      Oi Lucas. Parabéns, pois esses primeiros investimentos são sempre uma escola. Faz parte do processo de perder o medo, conhecer o novo e ganhar novas experiências no mundo dos investimentos.

  66. Sérgio 9 de dezembro de 2017 at 4:32 - Reply

    Tal como costume ,mais um excelente artigo!

    Estando as taxas de juro tão baixas,é um bom momento para investir em obrigações (de empresas ou soberanas),correto?

    Desde já muito obrigado.

    • Leandro Ávila 13 de dezembro de 2017 at 8:32 - Reply

      Oi Sérgio. Sempre é um bom momento para estudar o funcionamento dos diversos investimentos que existem.

  67. Luis 9 de dezembro de 2017 at 5:35 - Reply

    Parabéns pelo seu ótimo trabalho como educador e não somente querendo vender produtos, como alguns por aí.

    • Leandro Ávila 9 de dezembro de 2017 at 9:28 - Reply

      Obrigado Luis. Eu também tenho meus livros/produtos, mas eles só servem para tornar o projeto gratuito economicamente viável. Quem compra meus livros me ajuda a ajudar quem não compra.

  68. George Santana 9 de dezembro de 2017 at 11:58 - Reply

    Olá Leandro,como vai?
    É muito desconfortável e difícil se deparar com essa realidade que grande parte da população vive hoje.Ao passar pelas ruas (sou do RJ) você se depara com as dificuldades e as limitações das pessoas.Acho que se cada um fizer o seu melhor hoje o mundo para essas pessoas pode ser melhor amanhã.Quero deixar uma questão:Sou jovem e habilidoso com as áreas que lido (Técnico formado,estudante de música e inglês).Você com toda sua experiência,acredita ser possível erguer essas habilidades e usá-las para gerar valor e renda como Da vinci,Brian May que é Astrólogo ou é melhor focar em um ponto primeiro (algo menos arriscado que garanta seu crescimento social e profissional)?
    Essa questão tem me perseguido a um tempo e quero muito resolvê-la.

    Aguardo ansioso pelo novo projeto do Transcendência Financeira.Grande Abraço!

    • Leandro Ávila 10 de dezembro de 2017 at 13:26 - Reply

      Quando você trabalha para reduzir suas próprias dificuldades, suas próprias limitações, melhorando sua vida, você de certa forma está ajudando a todos, pois será menos um precisando de ajuda e mais um capaz de ajudar. Toda atividade profissional permite que você tire seu sustento.

  69. Eduardo 9 de dezembro de 2017 at 18:30 - Reply

    Ótimo texto Leandro ! Gostaria que você falasse sobre investimento em bitcoin.

    Grato !

  70. Mauro Costa 9 de dezembro de 2017 at 19:10 - Reply

    A engrenagem chamada Brasil precisa de uma conscientização massificada de que a mudança que queremos pro país começa no próprio povo, e como no texto, isso levará muito tempo(se o processo for iniciado…), até porque dependerá de muita vontade política, o que torna quase uma utopia tal fato.
    A corrupção é uma metástase na terra tupiniquim, circulante em todas as camadas da sociedade, que deve ser combatida com educação, cidadania e valores.
    Precisamos inserir nas escolas a educação financeira, conhecimentos da Constituição, estrutura política, focados na formação do cidadão. Penso que é por aí.
    Parabéns ao texto! Muito bom!

    • Leandro Ávila 10 de dezembro de 2017 at 13:32 - Reply

      Quando você tem um sistema, o seu funcionamento equilibrado só se torna possível quando todas as partes do sistema fazem o seu trabalho bem feito, da forma justa e correta. Só funciona quando todos colaboram. Quando uma parte do sistema trabalha apenas em benefício próprio, prejudicando todas as outras partes, sem seguir uma determinada ordem que visa o bem comum do sistema, temos um problema. Quando esse sistema é o corpo humano, uma célula que não trabalha como deveria é chamada de célula cancerosa. A ignorância de que somos parte de um sistema é um enorme problema.

  71. Ailton 9 de dezembro de 2017 at 19:41 - Reply

    Excelente texto Ávila! foi como outrora você falou: essa turma do congresso fica brincando com a vida da gente ao tomar as decisões. Se interessar por política apenas em vésperas de eleição, procurar educação financeira apenas quando adentrou no vermelho é uma roubada.

    • Leandro Ávila 10 de dezembro de 2017 at 13:33 - Reply

      Os políticos tomam decisões que impactam a economia e a economia do país impacta a nossa vida financeira. Uma coisa está conectada na outra.

  72. Alexander 10 de dezembro de 2017 at 10:08 - Reply

    Prezado Leandro,

    Como sempre, mais um artigo bem objetivo e sem deixar de lado a qualidade e o devido aprofundamento.

    Infelizmente, estive afastado, devido a problemas de saúde, mas irei retomando e, felizmente com a ajuda de seus artigos, visões e observações.

    Se me permite um desabafo, eu não acredito mais em melhora do país, quem sabe, um cenário menos pior. Infelizmente, a grande maioria do povo, está voltado para assuntos rasos e, no orgulho do “jeitinho brasileiro”. Cansei de sofrer por quem não procura melhorar e, o pior, ainda endeusa corruptos e canalhas. Vou seguindo a minha vida, com honradez, dignidade e, procurando auxiliar, quem de fato, procura melhorar. Afinal, com bem disse no seu artigo, o controle que tenho, é somente em relação aquilo que eu posso interferir, ou seja, minhas escolhas, minha decisões, baseadas em meus estudos, pesquisas.

    Desculpa, pelo desabafo, e muito obrigado por sua contribuição na melhoria de vida das pessoas, na melhoria do país. Seus artigos são úteis e seus livros também. E vou retomar a leitura deles.

    Abraço. Saúde e Sucesso!

    • Leandro Ávila 10 de dezembro de 2017 at 13:37 - Reply

      Oi Alexander. Isso que você disse é a mais pura verdade. A única coisa que realmente podemos fazer todos os dias é seguir nossa própria vida com honradez, dignidade e, procurando auxiliar, quem de fato, procura melhorar. Não se pode forçar ninguém a nada. Não existe nada a ser feito fora dessa realidade. O controle que temos é sobre a maneira que tocamos a vida das pessoas que podemos ter contato.

  73. Sidnei Santos 10 de dezembro de 2017 at 10:57 - Reply

    Prezado Leandro, bom dia!
    Não se esqueça de que “Sua Excelência” já representa o presente da política brasileira desde sua eleição, há sete anos. Colocar a questão com essa “simplicidade”, é o mesmo que recorrer à Miriam Leitão, para retratar a economia brasileira, ou seja, desconsiderar a complexidade do tema e tentar fazer uma simplificação que não melhora, mas somente aprofunda o grande problema que você mesmo aponta em seu artigo, sobre a falta de cidadania do brasileiro e seu baixíssimo índice de educação, em todos os níveis.

    • Leandro Ávila 10 de dezembro de 2017 at 13:45 - Reply

      Oi Sidnei. O país está cheio de gente que complica. Essas pessoas que complicam estão na política, na economia, no mercado financeiro, estão criando, mudando e distorcendo leis diariamente. O ser humano tem uma mania doentia de complicar as coisas. E quem se especializa em complicar se sente importante. Assim segue a nossa desgraça diária no meio de tanta complicação.

  74. Carlos Eduardo 10 de dezembro de 2017 at 11:19 - Reply

    Artigo muito oportuno, Leandro.
    A redução sustentável das taxas de juros deveriam acompanhar com um maior controle das contas públicas, o que ainda não aconteceu.
    O resultado disso é que se não for feito o ajuste fiscal, logo teremos novamente um ciclo de aumento das taxas.
    A redução atual da Selic basicamente ocorreu por inércia, por conta do baixo consumo, devido a criar econômica.
    Está na hora de fazermos o que precisa ser feito.
    A começar por escolher bem os representantes em 2018.
    Posso estar enganado, mais começo a ver luz no fim do túnel com relação a mudança de mentalidade das pessoas, a começar pela ampla discussão sobre liberalismo econômico que está ocorrendo.
    Isso até então tabu no Brasil.
    Enquanto isso, cada um deve fazer sua parte
    Abraços

    • Leandro Ávila 11 de dezembro de 2017 at 8:56 - Reply

      Sem esses ajustes os juros reais (acima da inflação) vão continuar os maiores do mundo.

  75. EDISON 10 de dezembro de 2017 at 18:57 - Reply

    Olá Leandro, parabéns pelo artigo e acredito que qualquer um que seja o próximo Presidente não vai mudar a vida de ninguém, se não trabalhar duro, poupar e investir pouca coisa vai mudar. Nenhum governo no mundo enriquece as pessoas a não elas mesmas.

    • Leandro Ávila 11 de dezembro de 2017 at 8:56 - Reply

      Oi Edison. É isso mesmo. Não é o governo que enriquece ninguém. São as pessoas, família por família, que busca a própria prosperidade. O que ocorre é que existem alguns governos que dificultam esse processo. É mais fácil controlar uma população pobre e ignorante e por isso pobreza. Por isso que a ignorância e a pobreza se perpetua.

  76. Raphael 10 de dezembro de 2017 at 20:26 - Reply

    Ótimo texto. Parabéns Leandro

  77. Dani 11 de dezembro de 2017 at 5:46 - Reply

    Leandro, admiro muito o seu trabalho, pena que o Tiririca dessa vez, estragou um pouco.
    Fez um belo discurso, e creio que logo depois que vc publicou sua matéria, dá entrevistas dizendo que mais do mesmo, é melhor. rs
    A gente tem de rir, pra não chorar rs

    • Leandro Ávila 11 de dezembro de 2017 at 8:53 - Reply

      Ele é um retrato do nosso povo. É a população que reclama e no momento de votar acaba elegendo gente despreparada, mal-intencionada e até marginais.

  78. Douglas Muniz de Oliveira 11 de dezembro de 2017 at 9:56 - Reply

    Gostei do artigo trouxe dados, informação, parabéns.

  79. Maycon Cancini 11 de dezembro de 2017 at 10:12 - Reply

    O boletim Focus de Hoje (11/12/17) estima que a inflação em 2017 fechará em 2,88%, sendo que na ultima semana a estimativa era de 3,03%. Na contra-mão, notícia diz de que o gás de cozinha subiu 70% este ano. Segundo a ANP, a gasolina, que custava na média R$ 3,62 no final de abril hoje custa R$ 4,02 na média.
    Desta forma, sugiro um artigo que fale sobre como é calculado o IPCA. Poderia abordar temas como:
    – Até que ponto podemos confiar no cálculo do IPCA?
    – Estou seguro se meu investimento render pouco a mais que o IPCA?
    – Como saber o IPCA por regiões do Brasil?
    – Devo considerar também outros índices, tal como o IGP-M?
    – A inflação que sinto no meu bolso pode ser muito diferente dos que outros sentem?
    No mais, aproveito para dizer que leio todos seus artigos e admiro muito o seu trabalho.

    • Leandro Ávila 13 de dezembro de 2017 at 8:31 - Reply

      Oi Maycon. O IPCA é uma média nacional. Ele não reflete a inflação sentida por cada brasileiro. Uma pessoa que utiliza fogão elétrico no lugar do fogão a gás sentirá uma inflação diferente da sua. Uma pessoa que utiliza UBER ou transporte público não sentirá o impacto imediato do aumento no preço da gasolina, só sentirá o efeito quando esses serviços tiverem seus preços reajustados e cada região do país terá um reajuste diferente. Você encontrará as tabelas, metodologias, inflação por região no site do IBGE. https://ww2.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/precos/inpc_ipca/defaultinpc.shtm

  80. GD 11 de dezembro de 2017 at 10:21 - Reply

    Alguém acredita que essa taxa de inflação divulgada pelo governo representa a realidade?
    Menos de 3% nos últimos 12 meses? Qualquer pessoa que frequente supermercados ou que abasteça o seu carro sabe que esse número é absolutamente irreal.
    Essa foi uma das principais dúvidas que tive antes de adquirir títulos IPCA. O governo promete pagar uma taxa “x” mais a inflação, só que é ele mesmo que “define” qual será essa inflação. Ou seja, nosso credor é quem acaba definindo quanto nos pagará futuramente.

    • Leandro Ávila 13 de dezembro de 2017 at 8:26 - Reply

      Oi GD. Ninguém acredita pelo fato da inflação oficial ser uma média. A inflação registrada na sua casa é diferente da inflação registrada na minha casa. Cada pessoa consome um leque diferente de produtos e serviços. As pessoas também podem trocar produtos que estão caros por outros que estão baratos e com isso podem impactar a inflação pessoal.

  81. Geovane Paulo Hoelscher 11 de dezembro de 2017 at 13:38 - Reply

    Como sempre, excelente texto! Obrigado Leandro!

  82. Reichard Felipe 11 de dezembro de 2017 at 14:02 - Reply

    Boa tarde, parabéns pelo artigo, muito bom seu trabalho, mas realmente a inflação esta tão baixa? cada pouco sobre luz, gasolina, gas, comida. estes numeros não são irreais?

    • Leandro Ávila 13 de dezembro de 2017 at 8:23 - Reply

      Oi Reichard. A inflação oficial é uma média. Cada família tem sua própria inflação e existe até meios para reduzir o efeito. Muitas vezes a inflação dispara ou cai por culpa de um determinado alimento. As pessoas podem substituir os alimentos, marcas de produtos e até alguns serviços. A inflação do governo nunca retrata exatamente a inflação que você sente.

  83. Bruno 11 de dezembro de 2017 at 15:02 - Reply

    Novamente um excelente artigo. Se o Lula ganhar, não fiquem triste, vai ser o melhor short no ibov e em ativos com lucro certo. Lógico, novamente nosso Brasil sangrará mais e mais. Mais como disse Gustavo Franco: Quem disse que o Brasil será um país do futuro, quem sabe estaremos fadados a mediocridade, embora espero que não. Como bem lembrando em um artigo seu Leandro Ávilla, esteja preparado para tudo. Grande abraço e que 2018 seja repleto de posts como este.

    • Leandro Ávila 13 de dezembro de 2017 at 8:20 - Reply

      Oi Bruno. Devemos nos preparar para qualquer situação.

  84. Alexandre 11 de dezembro de 2017 at 16:13 - Reply

    Leandro, acho seu blog muito bom e entre outras fontes, sempre faço propaganda para as pessoas adquirirem algum conhecimento aqui.
    Não deixe que a síndrome de vira-lata pegue você ou os nossos leitores.
    Além de corrupção e pobreza temos também muitas coisas boas e casos de excelência no nosso país.

    • Leandro Ávila 13 de dezembro de 2017 at 8:18 - Reply

      Oi Alexandre, não é questão de síndrome de vira-lata ou qualquer outro rótulo que temos mania de criar e colocar nas pessoas. São apenas números, comparações numéricas e constatações.

  85. silvano 11 de dezembro de 2017 at 22:13 - Reply

    Leandro, boa tarde e parabéns pelas orientações aqui. Onde encontro uma planilha para que eu possa lançar ativos imobilizados. Obrigado silvano….. …

    • Leandro Ávila 13 de dezembro de 2017 at 8:12 - Reply

      Oi Silvano. Não sei informar, mas o ideal seria criar a sua própria planilha, pois assim ela atenderá as características da sua carteira de investimentos. Aprender a construir e manter planilhas é fundamental para todo investidor.

  86. leandro 12 de dezembro de 2017 at 6:06 - Reply

    Leandro, na parte que cita a rentabilidade de uma renda fixa: “Isso mostra que mesmo com juros na sua mínima histórica, a taxa brasileira continua sendo uma das maiores do mundo. Dificilmente você encontrará investimentos de renda fixa de baixo risco com juros acima da inflação tão elevados como observamos no Brasil….”
    Isso significaria que ainda está valendo á pena investir no tesouro, comprar novos papeis. Mesmo com essa queda na taxa de juros?

    • Leandro Ávila 13 de dezembro de 2017 at 8:10 - Reply

      Oi Leandro. Significa que é importante entender o funcionamento dos títulos para acabar com essa dependência da opinião de um terceiro sobre “valer ou não valer” a pena investir aqui ou ali. Essa é a origem de todos os problemas dos pequenos investidores.

  87. Wagner 12 de dezembro de 2017 at 15:12 - Reply

    Olá Leandro! Parabéns pelo site..sempre muito elucidativo.
    Hoje no Brasil, até o momento, temos um cenário politico que aponta para uma disputa presidencial (2018) entre Lula e Bolsonaro (mais isso pode mudar a qualquer momento nesse pais de grandes incertezas). Mas mantendo essa “previsão” qual seria sua visão econômica em caso de vitória de um ou de outro?
    Grande abraço!!

    • Leandro Ávila 13 de dezembro de 2017 at 8:09 - Reply

      Oi Wagner. Depende do discurso e das decisões dos candidatos depois da eleição. Existe um leque com 1001 possibilidades.

  88. Eliane 13 de dezembro de 2017 at 12:08 - Reply

    Leandro, sempre estou por aqui lendo seus artigos na minha hora do almoço. Minha busca pela educação financeira tem me ensinado e também me desesperado pelo forma que o sistema nos molda. Hoje, falando com uma amiga, explicando como ela poderia buscar numa outra instituição um juro mais baixo para quitar sua dívida do cheque especial, ela me disse que eu deveria ser Coaching financeira, mas eu simplesmente falei o óbvio e ai me desespera ver como entendemos pouco de dinheiro! É como você diz; “é uma questão de mudar a mentalidade”. Ahh a inflação está baixa, mas quando sentiremos isso nos custos básicos? Abraço.

    • Leandro Ávila 22 de dezembro de 2017 at 6:53 - Reply

      Oi Eliane. Eu compartilho do mesmo desespero. As pessoas passam a vida inteira correndo atrás do dinheiro e não conseguem perceber o quanto é importante aprender o básico para tomar boas decisões com relação a esse dinheiro. A inflação mede a velocidade com que os preços estão aumentando (na média). Não vamos ver preços caindo, eles só irão aumentar em uma velocidade menor, só que isso será na média, pois olhando produtos e serviços específicos você verá uns que sobem mais e outros que sobem menos.

  89. Andre 17 de dezembro de 2017 at 21:56 - Reply

    Olá Leandro. Qual é a sua orientação de investimento para 2018 considerando 24 meses como período e sabendo que é ano de eleições, Selic está em baixa? Considere algo de médio/ baixo risco

  90. César Filho 18 de dezembro de 2017 at 13:44 - Reply

    Leandro, muito bom o seu artigo! Seu texto nada mais foi do que um retrato da sociedade brasileira, infelizmente… O povo esquece que: não é um país que transforma as pessoas, são pessoas que transformam um país!

    Grande abraço!

    • Leandro Ávila 22 de dezembro de 2017 at 6:49 - Reply

      Oi César. É exatamente esse pequeno detalhe que faz toda a diferença.

  91. Eduardo 19 de dezembro de 2017 at 12:30 - Reply

    Primeiramente, ótimo texto, Leandro.
    Poderia me explicar porque mesmo com a taxa selic em queda, as taxas do tesouro direto estão subindo?

    • Leandro Ávila 22 de dezembro de 2017 at 6:48 - Reply

      Oi Eduardo. As taxas dos títulos prefixado e IPCA refletem o que o mercado espera sobre o futuro. Quando a expectativa sobre o futuro é positiva os juros futuros tendem a cair. Quando é negativa ela tende a aumentar ou se manter. A grosso modo, quando o mercado está pessimista o governo precisa oferecer juros maiores para conseguir atrair os investidores.

  92. Giovanni 21 de dezembro de 2017 at 20:33 - Reply

    Leandro comecei a ler seu blog 4anos atrás nessa mesma época do ano. Naquele momento, as taxas se elevavam, tudo piorava, a renda fixa estava em alta por causa de juros nominais elevados, minha família ficou abalada com demissões e eu apenas caminhava para entender melhor economia e investimenos.
    Apesar de eu ter aprendido muito contigo sobre TD, eu ficava um pouco desesperado com os posts aqui principalmente pensando no futuro do país.
    Hoje estou bem mais preparado e volto aqui para agradecer ao conhecimento básico que obtive aqui

    • Leandro Ávila 22 de dezembro de 2017 at 6:45 - Reply

      Oi Giovanni. Parabéns por ter buscado mais conhecimento.

Leave A Comment

Compartilhe com um amigo