Vamos aprender como usar as médias móveis como ferramenta que pode auxiliar o investidor nas decisões de compra e venda de ações. Embora as médias móveis sejam muito utilizadas por quem opera na bolsa com foco em prazos curtos, elas são importantes indicadores para quem faz investimentos em ações buscando resultados em prazos mais longos.

As médias móveis eliminam o ruído

Os preços das ações, fundos imobiliários e índices como o índice Bovespa, realizam movimentos frenéticos no curtíssimo prazo, mas quando observamos em prazos maiores podemos identificar que eles seguem alguma tendência no decorrer de muitas semanas, meses e anos. Normalmente essas tendências maiores estão alinhadas com os fundamentos ou resultados financeiros das empresas.

Empresas que possuem uma sequência de resultados financeiros positivos alimentam expectativas positivas junto aos investidores.

Esses investidores movidos por essa expectativa positiva sobre o futuro demandam cada vez mais ações e consequentemente os preços se alinham a essas expectativas. Isso pode ser detectado observando a tendência de alta dos preços médios.

Para o pequeno investidor que realiza compras mensais de ações ou algumas poucas compras durante o ano, com foco em prazos maiores, é muito útil ser capaz de ler em qual tendência os preços estão seguindo naquele exato momento.

Uma das melhores formas de observar o comportamento do preço de um ativo de renda variável, eliminando os ruídos de curto prazo, é através das médias móveis.

Exemplo prático

Logo abaixo você tem os movimentos do preço da ação de uma empresa brasileira que produz cerveja, energéticos, refrigerantes e outras águas que passarinho não bebe. O grupo que controla essa empresa também é dono de mais de 200 marcas de cervejas, sendo o maior produtor do planeta.

Se você tivesse que responder: qual é o preço justo da ação dessa empresa?

Não queremos pagar um preço maior do que o valor das coisas que compramos. Sempre buscamos pagar o mínimo possível por algo de maior valor possível.

O valor muitas vezes é uma coisa subjetiva, pois também depende de quem compra, enquanto o preço é algo muito objetivo e igual para todos. O valor justo de uma ação para um investidor que pretende lucrar comprando e vendendo em um espaço curto de alguns dias ou semanas é diferente do valor justo esperado por um investidor que tem objetivos a serem atingidos nos próximos meses ou anos.

É fácil perceber através do gráfico diário do preço da ação da indústria de bebidas (logo abaixo) que parece não existir um consenso entre os milhares de investidores que compraram e venderam as ações dessa empresa durante o ano de 2019.

Temos a impressão que o preço não para de subir e descer, mas não é exatamente isso que podemos observar quando estudamos os preços médios.

 

Existem inúmeras formas de avaliar o preço justo de uma ação. Não existe nenhuma muito simples e fácil de explicar, mas a maioria delas utiliza os resultados financeiros que a empresa teve no passado e tentam estimar quais serão os resultados financeiros no futuro.

Sempre que estimamos alguma coisa, sempre projetamos, imaginamos, estamos inevitavelmente fazendo uma aposta sobre o futuro, mesmo utilizando dados matemáticos e estatísticos.

Com essa estimativa nas mãos, que não deixa de ser um tipo de aposta, os grandes investidores trazem esse resultado futuro para um valor presente que seja justo.

Se eles esperam que a empresa tenha um determinado crescimento nos próximos anos, eles tentam calcular quanto seria justo pagar pela ação hoje para esperar esse crescimento chegar. Sim, nada garante a um investidor de longo prazo, que compra com base na análise de fundamentos, que no futuro a empresa entregará os resultados que ele projetou nos seus estudos.

Quanto mais distante esses “próximos anos” representam, mais difícil é acertar as previsões, maiores os efeitos negativos e positivos e eventos que não podem ser previstos.

Isso impacta no preço que os grandes investidores aceitam pagar pelas ações. Quanto maiores forem as incertezas sobre o futuro, menos os investidores estão dispostos a pagar pela ação. É como se estivessem cobrando um “desconto” para correr o risco.

Aqui entra a questão da taxa de juros. Nos cálculos que os grandes investidores realizam, eles utilizam as expectativas para a taxa de juros e inflação futura. Quanto maiores as taxas de juros esperadas para o futuro, menos vantajoso é correr o risco, menos eles aceitam pagar pela ação para correr o risco de esperar a empresas crescer seus resultados. Quanto menores os juros pagos por investimentos de baixo risco, mais o investidor aceita pagar pela ação para obter algum ganho no futuro.

Cada investidor tem suas próprias estimativas. Cada investidor adota uma forma diferente de calcular o preço justo de suas ações com base em suas estimativas. Alguns investidores podem ter acesso a informações que outros não possuem. Alguns investem com foco nos próximos meses, outros focam o resultado em 1 ano, outros tomam decisões olhando prazos de 2 anos, 5 anos, 10 anos ou mais.

É por esse motivo que cada investidor vai acabar definindo o que ele considera um preço justo. Com base nisso eles entram na bolsa e começam a comprar e vender as ações quando os preços se movimentam para perto ou para longe dos preços que eles consideram justo.

O resultado de incontáveis decisões de compra e venda das ações da fabricante de bebidas vai resultar em um preço médio.

Podemos afirmar que o preço médio de uma ação é uma consequência de inúmeras analises, das mais simples até as mais sofisticadas, de todos os investidores do mercado com relação ao preço justo de uma ação.

Podemos dizer que o preço atual de uma ação é a média do que todo os investidores juntos acreditam ser um preço justo naquele exato momento. O preço médio de uma ação nos últimos 20 dias é resultado de um número maior de decisões de compra e venda e por isso representa um preço mais próximo do que provavelmente é o preço justo da ação. Um preço médio dos últimos 2 meses, 6 meses ou ano de negociações representa um preço ainda mais importante, por considerar um número ainda maior de decisões.

Observe o gráfico diário abaixo. Ele é o mesmo gráfico anterior com uma média móvel exponencial de 100 períodos ou 100 dias.

Embora o preço da ação tenha sofrido fortes variações entre R$ 16,30 e R$ 20,70, o preço médio da ação nos últimos 100 dias de operações na bolsa foi de R$ 18,59. Esse é um preço importante.

Podemos dizer que nos últimos 100 dias as decisões de todos os investidores orbitaram um preço de R$ 18,59 (último preço médio de 100 períodos exibido no gráfico acima). Esse preço foi produzido por decisões de todos os investidores, dos grandes aos pequenos, dos bem informados aos que não sabem o que fazem, de investidores de longo prazo aos especuladores de curto prazo. Certamente esse preço nos diz muito sobre as expectativas dos investidores.

Preços que orbitam as médias

Se você observar vários gráficos com preços de ações junto com médias móveis, verá que os preços tendem a se afastar das médias em movimentos para cima ou para baixo, mas depois de algum tempo eles sempre voltam a tocar nas médias. Isso pode ser percebido no gráfico anterior ou em qualquer gráfico de preço de ações.

É como se em algum momento os investidores percebessem que o preço subiu muito além da média ou caiu muito além da média.

É como se existisse a ideia de que o preço médio é o preço justo ou o preço mais seguro que temos no momento por se fruto de uma decisão coletiva que envolvem todos os investidores do mercado.

Agora observe esse gráfico logo abaixo. Ele é o mesmo gráfico anterior, mas agora a variação do preço da ação da fabricante de bebidas está na forma de uma linha preta (preço de fechamento). A linha rosa representa o preço médio dos últimos 100 dias.

Quando o preço cruza para baixo da média de 100 períodos, no gráfico acima, a linha da média fica vermelha para sinalizar que o preço está abaixo da média.

Grandes investidores (que usam análise fundamentalista) não se preocupam com as variações constantes dos preço, mas eles ficam atentos para os momentos em que os preços das ações estão próximos das médias. Normalmente esses pontos indicados pela análise técnica de ações podem representar momentos de decisão.

Essa decisão pode ser de compra, casos os preços reiniciem sua trajetória de alta, mantendo as médias direcionadas para cima, ou até mesmo uma venda para proteger o patrimônio investido, até que o preço retorne para sua média. Muitos investidores gostam de comprar ações quando seu preço está abaixo da média e existem sinais de que ele iniciou uma trajetória de retorno até a média. Frequentemente o preço das ações tendem a se aproximar de suas médias.

Agora vamos observar como os resultados financeiros divulgados trimestralmente, que são utilizados pelos analistas fundamentalistas, influenciam a tendência do preço e produzem fortes movimentos.

As linhas vermelhas verticais que possuem uma letra (E) indicam os dias em o fabricante de bebidas divulgou publicamente seus resultados financeiros. É nesse momento que todos os investidores aproveitam uma das quatro oportunidades do ano para acessar números que somente os gestores das empresas possuem.

Todos juntos iniciam o processo de reavaliação do preço justo da empresa com base em seus fundamentos. Os resultados de todas as avaliações de todos os investidores aparecem nos preços. Alguns investidores tomam de decisão de comprar mais ações, outros resolvem vender e no fim temos o que seria o novo preço que irá influenciar no preço médio.

No resultado divulgado no final de fevereiro, a primeira linha vermelha vertical no lado esquerdo, podemos perceber que os preços começaram a cair antes mesmo do resultado ser divulgado. Isso é um fenômeno relativamente comum.

O resultado publicado no final de fevereiro foi menor do que aquilo que era esperado pelos investidores. Podemos dizer que a empresa frustrou as expectativas dos investidores. Os preços estavam sendo negociados por valores distantes da média e após o resultado negativo os investidores julgaram que o preço justo era menor. Isso fez o preço da ação ficar abaixo de diversas médias. No gráfico acima podemos ver que ele ficou abaixo da média de 100 períodos.

Como falei, cada investidor faz sua avaliação dependendo de seus objetivos. Muitos investidores de longo prazo consideram preços abaixo da média como oportunidades de compra, caso considerem que a empresa terá resultados futuros melhores. Com o passar do tempo o preço retornou lentamente para as proximidades da média de 100 e em seguida se distanciou depois de abril.

No resultado divulgado no mês de maio ocorreu outra frustração de expectativas. O resultado em maio foi pior que o resultado de fevereiro. Mais uma frustração, mais uma reavaliação dos preços para baixo.

O preço ficou pouco tempo abaixo da média de 100 períodos. No mês de junho ele já cruzava a média de baixo para cima. Quase 15 dias antes da divulgação do resultado no mês de julho os investidores começaram a vender suas ações, o preço caiu para valores próximos da média de 100. Todos estavam esperando um resultado pior e não queriam vivenciar uma nova queda nos preços como ocorreu em fevereiro e março.

Como a expectativa dos investidores era baixa, mesmo o resultado divulgado sendo pior do que o resultado do mês de maio, ele foi um pouco melhor que o resultado esperado pelos investidores. Mesmo com resultado pior pelo terceiro trimestre, o preço disparou após a divulgação ficando por quase 10 dias muito acima da média.

Você logo vai perceber que preços muito longe das médias acabam retornando para elas. Foi o que aconteceu. Os preços se movimentam pelo calor das emoções, frustrações e superações de expectativas, mas com o tempo eles retornam para as médias, pois elas representam o julgamento de dezenas ou centenas de dias e uma enorme quantidade de investidores. Os preços médios costumam ser os preços que ficam na memória dos investidores como referência.

No final de outubro ocorreu mais uma divulgação de resultados. Queda nas vendas no Brasil e em outros países. A empresa teve que rever suas próprias previsões de crescimento do lucro para o ano. O preço da ação caiu até um valor próximo do que tinha no meio do ano, quando seus resultados eram semelhantes ao atual.

Os investidores vão continuar avaliando e reavaliando suas próprias projeções sobre o futuro da empresa alimentando expectativas positivas ou negativas sobre o futuro.

A empresa vai continuar divulgando seus resultados trimestrais e suas previsões que podem ser frustradas ou superadas, interferindo nas expectativas dos investidores.

As médias nos mostram a direção dos preços se eles continuarem se movimentando na mesma tendência.

Outra ferramenta muito útil e tão importante quanto as médias móveis para o estudo do comportamento das ações são os canais. Logo baixo temos o preço da mesma fabricante de cerveja onde traçamos duas linhas paralelas que tocam os maiores preços e menores preços do ano.

Normalmente os preços das ações se movimentam dentro de canais por longos períodos de tempo. Podemos entender o canal que os preços formam quando se movimentam como uma região de valores em que os investidores aceitam que o preço oscile com base nas expectativas que todos eles alimentam para os futuros resultados que serão divulgados pela empresa. Vou deixar para falar sobre os canais de preço em outro artigo.

A ferramenta que utilizo para os estudos acima é essa aqui, a mesma que utilizo como base no meu livro sobre análise técnica para investimentos de médio e longo prazo. Em outro artigo eu posso mostrar como adicionar médias móveis no gráfico de preço de qualquer ação utilizando uma conta gratuita da ferramenta.

Sempre é bom destacar que os exemplos que ilustram os artigos de renda variável não representam uma recomendação e muito menos se referem a setores de minha preferência.

Um artigo sobre renda variável também não representa que recomendo renda variável para você, pois nem todas as pessoas possuem o conhecimento ou querem adquirir conhecimento para investir em ações e outros ativos de maior risco. Nunca faça investimentos de risco se você não tem conhecimento, assim como nunca dirija, escale uma montanha ou salte de paraquedas em o devido preparo. O risco na renda variável é proporcional ao seu conhecimento e treino, assim como ocorre em qualquer atividade de risco.

 

Recomendo a leitura de dois livros: Como Investir na Bolsa: Análise Fundamentalista e o livro Como Investir na Bolsa: Análise Técnica. Conheça todos os nossos livros sobre investimentos visitando aqui.

Receba novos artigos por e-mail: