Quando você compra ações de uma empresa, você literalmente se torna sócio minoritário de pequenas frações de um negócio real que produz e vende produtos e serviços todos os dias.

Isso significa que você terá direito sobre os ativos e lucros da empresa. Quanto mais ações você compra, mais participação você terá sobre a valorização da empresa e os lucros que ela distribui.

Aqui vale destacar a enorme diferença que existe entre investir em CDB de um banco (renda fixa) e comprar a ação de um banco (renda variável) ou comprar a debênture de uma empresa ou comprar a ação da empresa. Ao fazer um investimento de renda fixa como CDB, LCI, LCA, RDB, LC ou debêntures, você está literalmente emprestando o seu dinheiro para um banco, financeira ou par uma empresa que emitiu títulos de dívida.

Todos esses investimentos de renda fixa que citei são títulos de dívida, ou seja, você investe se tornando credor de quem emitiu esses títulos. Quando você compra uma ação você compra um título de propriedade, ou seja, você passa a ter direito sobre os lucros da empresa e pode obter ganhos se essa empresa se valorizar e você resolver vender sua participação negociando suas ações na bolsa.

Observe que nas duas situações é importante saber se você está diante de uma empresa lucrativa. Tenho certeza que você jamais emprestaria o seu dinheiro para um estranho que não possui renda e coleciona dívidas. Provavelmente você jamais compraria uma parte de uma empresa de um amigo se soubesse que ela não gera lucro e possui mais dívidas do que patrimônio.

Esse modo de pensar precisa ser levado para seus investimentos em renda variável.

Através da Bolsa de Valores você pode comprar ações emitidas por mais de 300 empresas diferentes, mas algumas dessas empresas se destacam entre as que são mais negociadas e possuem maior valor de mercado. Veja uma lista de ações de empresas que fazem parte do índice Bovespa (IBOV). Esse índice é elaborado pela B3 e representa uma carteira teórica de ações das empresas mais negociadas na Bolsa.

É muito provável que você já gaste uma parte do seu orçamento familiar comprando produtos e serviços das mais de 60 empresas que fazem parte do índice Bovespa, pois muitas delas estão entre as maiores de cada mercado onde atuam.

Isso significa que você já está fazendo parte desses negócios, mas está do “lado da mesa” onde ficam os consumidores, que são aqueles que colaboram com a formação da receita e lucros das empresas.

Para ilustrar o artigo vou dar alguns exemplos que todos conhecem. Se você compra produtos na internet como eletrônicos ou eletrodomésticos é provável que já tenha colaborado com a geração das receitas trimestrais de empresas listadas na Bolsa que estão por trás de ações como MGLU3 (Magazine Luiza), VVAR3 (Casas Bahia, Ponto Frio e Extra.com.br), LAME4 (Lojas Americanas), BTOW3 (Submarino, Americanas.com e Shoptime). Se você compra roupas de grandes varejistas do setor de vestuário, provavelmente você já ajudou a elevar as receitas da LREN3 (Lojas Renner) e GUAR3 (Riachuelo).

Querendo ou não querendo, você já faz parte desse jogo, mas está na ponta de quem gera a receita, paga os impostos sobre essa receita e paga o lucro (dividendos) e a valorização do patrimônio dos acionistas das empresas.

Para se tornar sócio de qualquer empresa na Bolsa basta comprar pelo menos uma ação. Os passos para comprar uma ação são tão simples quanto os passos para comprar um produto no site de qualquer uma dessas grandes varejistas que utilizei no exemplo. O preço de uma ação costuma ser de algumas dezenas de reais, normalmente as pessoas compram e vendem lotes de pelo menos 100 ações.

A lógica que você pode adotar para comprar uma única ação, por uma dezena de reais, é a mesma para comprar milhares ou milhões de ações de uma empresa. Você provavelmente vai preferir comprar as ações de empresas que possuem receitas elevadas e crescentes. É bem simples imaginar que uma empresa com receitas decrescentes tem grande chance de ter lucros decrescentes, distribuição de lucros decrescentes e valor decrescente.

Para fins didáticos eu criei páginas aqui no Clube dos Poupadores que exibem o gráfico de preços das ações, gráfico com a Receita Líquida, Lucro Líquido e Patrimônio Líquido de quase todas as empresas que fazem parte do índice Bovespa. Para acessar essas páginas visite aqui e clique no código de qualquer ação e você verá os gráficos. Um link de acesso fácil de memorizar é https://www.clubedospoupadores.com/bolsa

Como exemplo didático vamos observar o gráfico de Receita Líquida de duas empresas que comercializam eletrônicos, eletrodomésticos e outros produtos na internet.

Logo abaixo temos o gráfico que mostra a Receita Líquida trimestral da empresa “Via Varejo” que está por trás de marcas conhecidas por todos como Casas Bahia, Ponto Frio e Extra.com.br. Você encontrará esse gráfico da Via Varejo visitando aqui, logo abaixo do gráfico de preços (basta acessar baixar e rolar a tela para baixo).

Tudo que a empresa recebe quando vende produtos ou serviços (à vista ou a prazo) em um determinado período (no nosso gráfico o período é trimestral) é chamado de Receita Bruta ou Receita Operacional Bruta.

Quando deduzimos dessa Receita Bruta todos os custos que a empresa teve com devoluções, abatimentos, pagamentos de impostos indiretos como IPI, ICMS e outros, encontramos a Receita Líquida ou Receita Operacional Líquida que está representada no gráfico de exemplo.

É fácil observar no gráfico que essa empresa, como todas do varejo, sofre variações sazonais em suas receitas, ou seja, as receitas aumentam muito no último trimestre do ano (vendas do Natal) e depois caem no primeiro trimestre do ano. Vamos ver outro exemplo do mesmo setor.

Logo acima temos o exemplo do gráfico trimestral da Receita Líquida do Magazine Luiza (esse gráfico está nessa página aqui). A linha verde é uma linha de tendência linear calculada automaticamente pelo sistema que gera o gráfico. Ele calcula a taxa de crescimento e desenha uma linha reta que cresce utilizando essa taxa. Vale destacar que essa linha não serve para prever o futuro. Ela só serve para mostrar o que aconteceu no passado.

Nesses dois gráficos anteriores já podemos observar claramente que existem diferenças na forma como o crescimento das receitas evoluem. Agora vamos observar um terceiro exemplo.

A empresa B2W está por trás de grandes marcas de lojas online como o Submarino, Shoptime e Americanas.com. É fácil observar que no gráfico acima a receita líquida vem caindo desde 2018 em relação ao ano anterior, principalmente quando fixamos o nosso olhar no primeiro trimestre da cada ano (T1). Visite o gráfico no centro dessa página aqui.

Só que receita líquida elevada ou crescente pode não significar muita coisa quando o lucro líquido da empresa está estagnado, em tendência de queda ou até negativo (prejuízo).

Nos próximos artigos vou falar um pouco mais sobre o Lucro Líquido das empresas negociadas na Bolsa. Para efeito educativo eu recomendo que visite as páginas dos gráficos das três empresas e faça uma comparação entre receita líquida, lucro líquido e patrimônio líquido. Eu acredito que esses três gráficos são os mais básicos e relevantes para que você possa selecionar empresas para estudar com mais profundidade.

Vale destacar que esses gráficos que existem aqui no Clube dos Poupadores, assim como todo conteúdo que produzo, possuem objetivo educativo e servem para motivar você a estudar mais. Os exemplos servem apenas para tornar o artigo mais interessante e ilustrado.

Todas as empresas listadas na Bolsa possuem sites de “Relações com Investidores” onde você encontrará relatórios trimestrais com números e gráficos que são gerados e atualizados pela própria empresa, através das auditorias que eles contratam. Essas são as fontes oficiais que você deve utilizar para tomar qualquer decisão de investimento de forma livre e independente.

Exemplos: Relações com investidores do Magazine Luiza, Relações com Investidores do Via Varejo, Relações com Investidores do B2W.

Para ver uma lista com todas as empresas que fazem parte do subsetor “Comércio, visite aqui.

Deixo aqui uma recomendação. Tenha muito cuidado ao aceitar recomendações de investimentos em ações, principalmente quando ela envolve ações de empresas que estão enfrentando sérios problemas financeiros, que estão em recuperação judicial, que não geram receitas e lucros consistentes ou que estão envolvidas em escândalos, investigações e crimes. A internet está repleta de pessoas recomendando empresas assim. Estude antes de investir para que você possa depender o mínimo possível das opiniões dos outros quando for comprar ações ou realizar qualquer tipo investimento. Busque ser cada vez mais livre e independente nas suas escolhas.

Recomendo a leitura de dois livros: Como Investir na Bolsa: Análise Fundamentalista e o livro Como Investir na Bolsa: Análise Técnica. Conheça todos os nossos livros sobre investimentos visitando aqui.

Receba novos artigos por e-mail: