Trabalho não é emprego e dinheiro não se ganha, se faz


Por muitos milênios toda a educação recebida pelas crianças tinha utilidade prática e estava totalmente integrada ao trabalho diário que garantia a sobrevivência da família.

As crianças acompanhavam os seus pais nas tarefas diárias, como pequenos aprendizes ou discípulos dos mais experientes. Todos os mais velhos eram os nossos professores, encarregados da tarefa de transmitir conhecimentos e experiências de grande utilidade prática.

Observando e praticando as crianças aprendiam para sempre. Ainda na juventude, elas já sabiam plantar, caçar, lidar com os animais que criavam, preparar e conservar alimentos, produzir suas próprias ferramentas, habitações e suas armas de caça.

O ensino tinha um propósito claro e objetivo. A vida era a sala dentro de uma grande escola. Clique na figura para assistir ao trailer de um filme com imagens que retratam isso.


A teoria era apresentada junto com a prática em situações reais da vida, coisa que nenhuma lousa digital, nenhuma realidade virtual dentro de uma sala climatizada é capaz de oferecer.

Aprender, trabalhar e viver era uma coisa só, impossíveis de serem separadas. Ficava muito claro para o jovem a importância do conhecimento na sua prática diária, pois disso dependia a sua própria sobrevivência e a qualidade de vida dos seus futuros descendentes.

O jovem atingia a vida adulta com uma visão proativa da vida, ou seja, ele sabia que para tudo ele precisavam aprender, pensar e agir com antecedência. Ele sabia que as coisas só aconteciam se ele fizesse o que precisa ser feito, da forma que deveria ser feito.

Se o objetivo e fosse comer, o jovem entendia que precisava primeiro plantar. Para isso era necessário preparar a terra, semear e cultivar, para finalmente, ter o direito de desfrutar de uma lavoura repleta de consequências dos seus atos, ou seja, repleta de alimentos e mais vida a ser vivida. Para caçar também era necessário planejamento, estratégia, respeito aos ciclos de migração e reprodução dos animais, além de muita coragem e autocontrole para enfrentar os riscos da caçada.

Os jovens aprendiam que as teorias, junto com a prática diária poderia construir um mundo farto, próspero e seguro para eles na vida adulta. Ele percebia que a vida que as pessoas tinham no futuro era uma consequência de todo preparo passado e todas as ações realizadas no presente.

Nos dias de hoje, as coisas estão bem diferentes. As crianças abrem uma das “caixas mágicas” que existem na cozinha e encontram os seus alimentos preferidos. Elas não entendem direito o que estão comendo, não sabem como aquilo foi produzido ou de onde veio. Com o tempo, elas aprendem que existe um lugar mágico onde podemos retirar todos os alimentos que gostamos (supermercado). Para isso, você só precisa ter um “quadrado de plástico” que também é mágico. Você o coloca em uma máquina, aperta alguns botões e deixam você levar aquilo que você quer para casa.

As crianças aprendem que para ter um “quadrado mágico” elas precisam primeiro ir para a escola, todos os dias, durante toda a infância e juventude.

A escola também é um lugar mágico. É um lugar onde colocamos nossos filhos acreditando que basta isso para que eles saiam de lá sabendo toda a teoria que precisam para ter sucesso na vida na prática do nosso tempo.

Em algum momento da nossa história, as famílias resolveram aceitar a terceirização da educação, através dos modelos de escola que temos hoje.

O próprio Estado se encarregou de criar uma “educação padronizada”, que nivela todas as pessoas. Essa educação é aplicada em série (como em uma fábrica) na vida de todo novo cidadão, não importando suas qualidades, habilidades, desejos, sonhos, necessidades e a realidade prática da vida.

Assim começamos a criar uma coisa padronizada chamada “povo”, que mais lembra um rebanho de pessoas que possuem uma mesma visão de mundo, uma visão cada vez mais padronizada, passiva, dependente e limitada.

Toda criança está condenada a ficar várias horas por dia sentada, imóvel e em silêncio dentro de uma sala, olhando para um adulto que fala, fala e fala sobre coisas distantes, teorias sem prática, sem vivência, sem conexão com a realidade e que não faz sentido para a criança.

Esses adultos que falam coisas sem sentido para as crianças, um dia também foram crianças e aprenderam tudo que sabem exatamente da mesma forma. Muitos jamais vivenciaram de forma prática aquilo que ensinam. Apenas aprenderam a repetir o que aprenderam.

Perceba que a natureza trabalhou por milhares de anos nos aprimorando. Ela preparou o nosso cérebro para aprender através dos exemplos e do conhecimento relacionado com a prática, de forma proativa, no convício diário com os nossos pais e os mais velhos. Do nada, resolvemos jogar fora toda essa “tecnologia natural”. Criamos essa coisa chamada escola. Todos sabem que o oferecido pela escola é muito pouco para preparar alguém para os dias de hoje, o método é ineficiente e incompleto, mesmo assim um grande esforço é feito para manter tudo da forma que está.

A padronização desse tipo de educação que temos hoje é tão importante para manter a sociedade da forma que ela é, que o STF decidiu proibir que os pais assumam o papel da escola na vida dos seus filhos. É claro que nem todos os pais podem fazer isso, mas os que podem estão proibidos de fazer.

Para superar essa deficiência, é muito importante que você estimule (na sua vida e na vida dos seus filhos) a união da teoria com a prática. O uso prático e inteligente do pouco que sabemos é mais importante do que saber muito sem uma prática inteligente. Isso é o que podemos chamar de sabedoria.

Seguindo a mesma lógica, as crianças aprendem matemática na escola, mas não aprendem como ela pode ser útil. As crianças sabem o que é dinheiro, mas ninguém as ensina como é possível fazer dinheiro. O dinheiro é algo que precisa ser feito por cada um. O próprio termo “ganhar dinheiro” deveria ser substituído por “fazer dinheiro“.

O próximo vídeo é bem conhecido na internet. Foi gravado por uma pessoa simples que vende água na praia. Não sei muito sobre ele, mas sei que se tornou conhecido na internet e apareceu em muitos programas na TV nos últimos meses graças a esse vídeo.

Eu só não sei se as pessoas entenderam exatamente a essência do que ele fala.

Em apenas 1 minuto o autor do vídeo vai mostrar de forma clara o tipo de matemática que as crianças não aprendem na escola.

Ele mostrará uma visão proativa de encarar a realidade, muito semelhante com aquela visão que as crianças recebiam dos nossos ancestrais. Ele vai mostrar como se faz dinheiro.

Mas atenção: Não se comporte como aquele que olha para o dedo, quando alguém está tentando te mostrar algo muito maior. Ninguém está aqui recomendando a venda de água nas ruas como a solução de todos os problemas do Brasil e do mundo. Entenda a ideia e como essa visão de mundo poderia levar muita gente a buscar soluções, no lugar de ficar reclamando dos problemas.


Essa lógica que ele apresentou é a mesma para fazer dinheiro sendo um simples vendedor de água, para o dono da distribuidora de água ou para um bilionário dono de incontáveis fábricas de água, refrigerantes e outras bebidas como Jorge Paulo Lemann (empresário/investidor mais rico do Brasil).

Existe uma palestra do Lemann, que eu comento em uma das minhas aulas no meu curso Resistência, onde ele fala sobre o tipo de educação que ele buscou e que fez toda a diferença no seu sucesso como empresário e investidor (assista aqui). Seria interessante você assistir antes de continuar.

Uma visão de mundo proativa, independente e mais autossuficiente, já foi regra na vida dos nossos antepassados, em um tempo onde não existiam supermercados, alta tecnologia, internet ou mesmo livros.

Hoje, temos tudo isso, toda a informação do mundo é acessível por todos, custando quase nada, mas nunca fomos tão dependentes de tudo e de todos, nunca fomos tão passivos, tão dependentes dos governos, dos empregos, dos empregadores, do dinheiro alheio, das facilidades e dos comodismos que nos anestesiam e nos paralisam.


O trecho que selecionei no vídeo acima (basta clicar para assistir), você verá que Rick precisou escolher entre frequentar a escola ou trabalhar. Foi forçado pela vida a escolher o trabalho, mas quem disse que o conhecimento, a educação, a visão de mundo que precisamos cultivar (e que faz toda a diferença) está dentro das escolas formais? Quem disse que todo trabalho está em um emprego? Quem disse que todo dinheiro que precisamos está em algum salário? Quem disse que as pessoas mais pobres estão condenadas a uma vida limitada?

Rick diz que deixou a escola, mas “comeu os livros”, chegando a ler três novos livros por semana.

Rick poderia ter passado o resto da vida reclamando daquele homem preconceituoso que o ofendeu na praia. Ele poderia reclamar da boa escola que não deram a ele, do emprego com carteira assinada que ele não ganhou de ninguém, da infância pobre e de poucas oportunidades que ele recebeu.

Ele tinha todas as razões para reclamar de tudo e de todos, sem estar errado ao reclamar, mas esse não seria o caminho que produziria algum resultado prático, real e positivo na vida dele. Se ele fosse mais um reclamando, sua própria vida continuaria sem mudanças. Ele transformou tudo que viveu em motivação para construir a sua própria vida a partir do zero. Ele aceitou a realidade da forma que ela era e colocou a cabeça para funcionar para mudar os resultados futuros.

Observe que o Rick diz ter tido um pai que o ensinou sobre o dever de estar preparado para a vida. Vimos no início do artigo a importância da educação que recebemos dos nossos pais, exatamente como ocorria no passado.

O pai de Rick ensinou a ele que situações positivas e negativas irão sempre acontecer, isso é algo inevitável e real, mas tem uma coisa que podemos controlar. Nós podemos fazer alguma coisa hoje para que possamos estar sempre preparados. Na oportunidade ou na calamidade, quem faz a diferença é aquele que estava previamente preparado.

O que os pais dos nossos antepassados faziam era justamente isso. Eles “construíam” crianças realmente preparadas para o mundo real.

Quando os problemas ou as oportunidades surgem, você estará preparado e proativamente fará o que for necessário para superar o problema ou aproveitar a oportunidade. Sem preparo, o problema te destruirá. Sem preparo a oportunidade será perdida. É isso que a escola da vida nos ensina.

Os antigos gregos representavam a oportunidade através de uma figura mitologica chamado Kairós (deus do tempo oportuno). O grego acreditava que era necessário estar sempre preparado para o encontro com Kairós, pois a única forma de agarrá-lo era pelos cabelos. O problema é que você só consegue agarrar os cabelos de Kairós se estiver de frente para ele (observe a posição do cabelo dele na figura abaixo). Se você não estiver preparado para pegar Kairós de frente, não terá cabelo para pegar quando ele passar por você.

A oportunidade só pode ser agarrada pelos cabelos, mas ela só tem cabelos na parte da frente da cabeça. Você precisa estar pronto para agarrá-la de frente. Se ela passar, não poderá mais ser agarrada.

Perceba que você pode e deve começar a se preparar agora, mesmo que você não saiba exatamente para o que está se preparando. Rick não teira feito o sucesso que fez através do seu canal no Youtube, não teria atraído a atenção dos meios de comunicação, de empreendedores famosos, não teria feito diversas palestras e não teria palestrado em Harvard se não tivesse se preparado para algo muito maior do que o seu pequeno mundo de vendedor de água.

Tinha um rapaz que entregava água no meu escritório, aqueles galões de 20 litros de água mineral. Ele usava um tênis de marca famosa que custava 100 vezes os R$ 10 que o Rick utilizou como exemplo em seu minuto de empreendedorismo. Esse rapaz conseguiu a oportunidade de ter R$ 1.000,00 em suas mãos, mas o preparo que ele tinha só o permitiu enxergar aquele tênis. Uma vez, esse mesmo rapaz resolveu pichar (com as iniciais de uma torcida de futebol) os corredores de vários andares de um dos prédios onde ele também entregava água. Foi descoberto pelas câmeras do prédio. Perdeu o emprego de entregador e a administração do prédio ainda abriu um boletim de ocorrência contra ele na delegacia. O preparo que esse rapaz tinha era tão pouco que não foi possível ficar muito tempo trabalhando como simples entregador de água.

Existem oportunidades surgindo em todos os lugares, para todas as pessoas, de todas as classes sociais, mas só as pessoas que preparadas conseguem ver e aproveitar essas oportunidades.

Toda transformação, todo crescimento profissional, financeiro e pessoal, acontece de dentro para fora.

A mudança que precisamos acontece primeiro na sua cabeça, depois na sua vida e por consequência isso vai se expandir para a vida da sua família, da sua comunidade e do seu país. Tudo começa dentro de você, local onde você é o responsável pela mudança.

Para finalizar o artigo, vou deixar esses últimos ensinamentos onde fala de educação financeira. Esse rapaz conseguiu sintetizar em 1 minuto aquilo que eu venho tentando ensinar nos últimos 5 anos de Clube dos Poupadores.


Se todo dinheiro do mundo fosse tomado por alguém e depois fosse igualmente distribuído, pode ter absoluta certeza que, em pouco tempo, esse dinheiro retornaria para quem tem muito e desapareceria de quem tem pouco, pois o problema não está na distribuição, o problema está na capacidade de cada um fazer dinheiro, guardar dinheiro e investir dinheiro. O poder está naquilo que as pessoas sabem e na maneira como elas colocam em prática aquilo que sabem.

Se 1 minuto de vídeo não foi suficiente para despertar para essa visão de mundo, temos mais de 300 artigos longos e gratuitos aqui no Clube dos Poupadores. Também temos três livros onde você só precisa ler e praticar. Ainda existe o meu curso que ajuda você a vencer tudo que ainda te faz resistir a praticar tudo que sabe.

Dia da sorte...

Muita gente acredita que ter sucesso na vida financeira depende de um tipo sorte. Descobri uma forma de aumentar essa sorte: quanto mais você estudar sobre ganhar, poupar e investir dinheiro, mais sorte terá na sua vida financeira. Escrevi uma série de livros que vão ajudar você a aumentar esse tipo de "sorte" rapidamente:Clique aqui para conhecer os livros.

Sobre o Autor:

Leandro Ávila acredita que o conhecimento é uma riqueza que precisa ser dividida para ser multiplicada. É formado em administração de empresas e se especializou em educação financeira e de investimentos. Escreveu livros sobre Independência Financeira, Investimentos em CDB, LCI e LCA, Investimentos em Títulos Públicos e em Imóveis.
avatar
600
66 Comment threads
71 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
68 Comment authors
CarolinaRamonARÃO DE SOUZA MELOAmandaLeandro Ávila Recent comment authors
newest oldest
Marcio
Visitante
Marcio

Obrigado pela dose semanal de ensinamentos, Leandro. Você é iluminado.
Quanto à questão do home schooling, realmente é uma pena que não foi aceito. Espero que não demore para isso mudar. Hoje os pais ficam em uma encruzilhada:
1) Colocar o filho em uma escola particular de qualidade, que custa muito caro, para dar melhor condições de aprender o que precisa para passar no vestibular;
2) Colocar o filho em uma escola pública (sem custo direto), cuja qualidade chega a ser uma piada sem graça.
Isso sem falar nos vestibulares, com questões cada vez mais tendenciosas e com viés ideológico.

Jose
Visitante
Jose

Excelente artigo!! Mais um conteúdo valiosíssimo hoje apresentado em texto e vídeo na linguagem mais direta e didática possível
Parabéns!

Thiago
Visitante
Thiago

Olá Leandro.
Minha vida mudou depois que conheci você. Depois que aprendemos que a responsabilidade pela nossa prosperidade é só nossa e de mais ninguém, tudo que fazemos ganha um propósito maior.
Já li seus livros e gostei muito. Você não vai fazer uma versão em livro do curso de resistência? Eu sou mais do tipo que lê e ia gostar muito de ter um livro seu mais focado em desenvolvimento pessoal do que educação financeira apenas.

Allana Holanda
Visitante
Allana Holanda

Artigo PERFEITO! Agora minha cabeça fervilhando em como fazer meus filhos passarem por experiências de vida num lugar tão perigoso… apelar pra imaginação ? Simular situações para fazê-los pensar… ?

Fabio
Visitante
Fabio

Exatamente, esse é o caminho: “fazer dinheiro, guardar dinheiro e investir dinheiro”. É incrível como muitos não enxergam que só assim é possível prosperar.
Há pouco tempo, em uma conversa com colegas, ouvi a famosa expressão de que “é impossível ficar rico sem roubar, sem prejudicar alguém ou sendo honesto”. Infelizmente é isso que está incutido na cabeça das pessoas. Isso faz com que muitas vezes a pessoa tente ocultar a sua prosperidade financeira, para não ser mal visto. Pessoas que enriqueceram honestamente deveriam ser vistas como exemplo, como inspiradores, não como monstros gananciosos

RENATA COSTA MEDEIROS
Visitante
RENATA COSTA MEDEIROS

Ahh Leandro, eu amo começar o dia lendo seus artigos! Também adoro o Rick, pessoa incrível e de energia boa!

ISMAEL SCHINATO
Visitante
ISMAEL SCHINATO

Ótimo, a unica pessoa que pode mudar a nossa realidade de vida somos nos mesmos.
Venho acompanhado todos os artigos postados, nitidamente já consigo ver minha evolução pessoal e profissional.

obrigado Leandro.
att,
Ismael

Bruno
Visitante
Bruno

Exatamente, Leandro. Como seria bom se as escolas ensinassem coisas realmente úteis. Mesmo com tanta coisa importante que ainda falta ensinar, muitos continuam exigindo o ensino de ideologia de gênero para crianças… Parece que criam problemas artificiais para abafar e tirar o foco do principal. Por que não lutamos pelo ensino de finanças, investimentos e uma política sem viés ideológico nas escolas? Isso sim seria a base de uma sociedade melhor. Imagina se todos aprendessem, desde pequenos, o funcionamento do sistema financeiro e a analisar propostas de governo!

Fábio
Visitante
Fábio

Leandro,

Seus artigos são ótimos, acompanho o seu trabalho desde 2017 e posso lhe dizer que desde então a minha vida financeira mudou. Suas dicas despertaram a vontade de aprender mais sobre finanças.

Hoje invisto em ações, FII, renda fixa, etc e entendi a dinâmica de como funciona o dinheiro. Anos atrás nem poupança eu tinha, mas consegui agora traçar um objetivo.

Continue escrevendo e transformando a mente das pessoas e obrigado !

Domingos
Visitante
Domingos

Muito bom!!! Você sabe ensinar pois “prova” o que diz através de fatos e exemplos reais, isso tem muita força.

André Nunes
Visitante
André Nunes

Excelente artigo Leandro! Obrigado por apresentar o Rick. Adorei a maneira com que ele comunica as idéias, simples e direto ao ponto! Ele defende um ponto principal que também procuramos mostrar: O problema está na cabeça das pessoas. Grato.

Fernanda Souza
Visitante
Fernanda Souza

Um dos melhores artigos!

Tiago Menezes
Visitante
Tiago Menezes

Leandro, parabéns pelo que faz e o faz com maestria! A forma habilidosa e clara como escreve aliada às ricas referências nos fazem percorrer um delicioso caminho de conhecimentos. E a forma como aborda os temas, sempre me surpreende! Você é uma referência quando o assunto é educação financeira! Atingiu sua independência financeira e em seu ócio criativo nos auxilia a buscar desenvolver todas as nossas possibilidades. Espero com este depoimento agradecer o muito que recebi e a estimular novos leitores a o acompanharem também. Abs!

Marcos Alexandre Moreli Pádua
Visitante
Marcos Alexandre Moreli Pádua

Parabéns pelo excelente texto, imprescindível leitura à jovens e adultos. Obrigado!

Eduardo Dias
Visitante
Eduardo Dias

Caramba…eu sempre acompanho mas nunca me manifestei. Parabéns EXCELENTE artigo. Gostaria muito que todos pudessem ler ….Aprendi muito hoje…

fabio
Visitante
fabio

excelente artigo como sempre.

Alessandro
Visitante
Alessandro

Muito bom! Você consegue combinar os ensinamentos de vida junto aos ensinamentos economicos. parabéns. seu trabalho é admirável.

Jacqueline Pinheiro Costa
Visitante
Jacqueline Pinheiro Costa

Leandro, como sempre inspirador… a respeito do início do texto tem um filme que fala sobre esse tema, chama-se Capitão fantástico. Eu costume dizer que a vida é uma professora que gosta dos alunos mais espertos, ou melhor, daqueles que tem um plano de voo e já estão procurando as ferramentas. Ela apresenta as ferramentas. É isso aí, obrigada por mais esse texto genial.

Marciel perspicaz
Visitante
Marciel perspicaz

Muito obrigado! tem sido enriquecedor as suas publicações, que Deus continue abençoando grandemente!

Natália
Visitante
Natália

Sensacional!
Obrigada por dividir tanto aprendizado!
Abraços

Tadeu
Visitante
Tadeu

Parabéns, Leandro.
Parabéns por você ajudar todas as semanas o Brasil com os seus textos. Acredito que aos poucos você está conseguindo mudar a mentalidade de alguns brasileiros. Assim, essas novas mentes serão as novas sementes financeiras que irão ajudar o país a melhorar.

AURELIO LUIZ DORNELLES
Visitante
AURELIO LUIZ DORNELLES

Dá pra concordar, mas com ressalvas.
Será que todos nascem com esta capacidade no seu DNA ou se tiver educação, como imaginada e colocada no inicio da matéria?

Pais, avós e também a escola, fundamentando o conhecimento e a educação, dividindo a renda, PIB, nesta área, teríamos este ganho em pouco tempo.
Enfim, educação é a palavra chave.
Os demais servem como exemplo de que é possível.

Leo Correa
Visitante
Leo Correa

Meus parabéns pelo texto muito bem escrito. Isso precisa ser realidade aqui no Brasil.

Marlon
Visitante
Marlon

Maravilha!
Essa visão tem que ser levado em consideração na escolha dos nossos representantes. Um dos candidatos a presidente afirma reiteradamente que a mudança passa por uma atitude nossa, se ficarmos esperando “eles” melhorarem as coisas nunca serão melhores.

Karina
Visitante
Karina

Genial!!!!
Que lindo esse artigo, muito bem explicado de como o sistema funciona.

Sobre a escola, eu lembro que teve uma época na minha vida que eu achava muito estranho estar ali todo dia, sentada calada, só ouvindo o que os professores tinham a dizer.
Eu achava que podia ter mais aplicação prática pra gente aprender melhor, mas nunca questionei isso.

Hoje, depois de muitos cursos de desenvolvimento pessoal, depois de muitas leituras de livros, eu aprendi que posso sim questionar as coisas, as pessoas, inclusive a minha vida.
É questionando que você reflete sobre a importância da coisas.

Marcelo
Visitante
Marcelo

Como sempre, excelente!

Filipe Medeiros Souza
Visitante
Filipe Medeiros Souza

Olá Leandro.

Que Artigo Gigante, no sentido de Importante, prático e real.
Gostei muito. A Verdade dói, ainda mais quando citada com exemplos da vida real.
Parabéns Amigo.

Um abraço.

Rodrigo Fonseca
Visitante
Rodrigo Fonseca

Parabéns Leandro. Excelente artigo. Mais uma vez obrigado por esse artigo.

Ciro Rossano
Visitante
Ciro Rossano

Valeu…continue a passar informações para adquirimos conhecimentos e no dia possamos praticar.
Muito obrigado pelas preciosas gotas!

Rodolfo Pimentel
Visitante
Rodolfo Pimentel

Leandro,

Quero parabenizá-lo pelo conteúdo de alta relevância e impacto que produz. Já indiquei seu site para alguns amigos e parentes, mas vejo que muitos ainda não estão preparados para ouvir as verdades e os ensinamentos que você transmite. Já adquiri alguns de seus livros e todos agregaram valor a minha vida. Com relação ao assunto escola, hoje, aos 30 anos de idade, reflito e me impressiono com a quantidade de tempo que perdemos aprendendo coisas sem aplicação prática nenhuma nas escolas e, até mesmo, nas universidades. A educação formal em todos os níveis tem que ser revista.

Luciana Socorro Alcântara
Visitante
Luciana Socorro Alcântara

Obrigado. Excelente
!

Italo Ribeiro
Visitante
Italo Ribeiro

Leandro, sou profundo admirador do seu trabalho, inclusive tendo adquirido seus livros de finanças e imóveis. Leio seus artigos e muitos já me ajudaram no início da minha EF.
Percebo que nos últimos tempos você tem diminuído assuntos mais avançados e falado mto de comportamento e psicologia do dinheiro. Entendo q são áreas mais proximas ao seu curso atual e talvez seja parte de uma mudança de nicho, porém seria louvável se também escrevesse aos leitores mais antigos em artigos mais técnicos. Não entenda como crítica neg, mas como sugestão de um leitor antigo, abço

Denis Polastri
Visitante
Denis Polastri

Parabéns Leandro, maravilhoso artigo!
Realmente, a mudança deve ser primeiro, dentro de nós mesmos.
Obrigado.

Ana Paula
Visitante
Ana Paula

O que dizer? Que você é maravilhosamente inteligente né nós agrega demais com seus artigos. Abraço

Poliana
Visitante
Poliana

Leandro você arrasa!!!
Sou leitora do clube a muito tempo e seus artigos são sempre grandes ensinamentos e fontes de motivação. Sou mais uma leitora que mudou a forma de pensar e agir graças a você.
Obrigada!

Julio
Visitante
Julio

Muito bom Leandro,

adorei a citação sobre o tomate. Define muito bem Conhecimento e Sabedoria. A sua frase também é ótima: “O uso prático e inteligente do pouco que sabemos é mais importante do que saber muito sem uma prática inteligente.” Essa semana vi uma entrevista muito boa no Conversa com Bial 27/09/2018 Fisíco e Escritor Leonard MLodinow que também toca nesse assunto da educação.

Fernando Lazarini
Visitante
Fernando Lazarini

“Another brick in the wall” – Aluno de Escola Pública.

Guilherme
Visitante
Guilherme

Parabéns pelo texto.

Um oásis de bom senso e inspiração em meio a esse momento de lamaçal que vivemos, on e offline.

Abraços.

Marcos Henrique
Visitante
Marcos Henrique

Parabéns Leandro, excelente artigo !

Celso
Visitante
Celso

Leandro, parabéns!!!! Um artigo melhor que o outro… Esse realmente me mostrou o quanto preciso melhorar… Obrigado e novamente, PARABÉNS!!!!!

Tiago
Visitante
Tiago

Leandro, sempre acompanho seus artigos mas raramente comento. Cara que artigo incrível, excelente. Apesar de já ter refletido diversas vezes sobre o péssimo método de ensino que possuímos, nunca tinha pensado nele como uma linha de produção. É como se cada nível da linha de produção fosse uma série da escola. Os produtos com “defeito” (alunos repetentes e que não deveriam ser vistos como defeituosos) permanecem naquele nível da linha de produção pra tentar serem corrigidos. Mais incrível ainda é a história e os ensinamentos do Rick, um tapa na cara de quem só se faz de coitado.

Olavo
Visitante
Olavo

Já sigo o seu blog faz muito tempo. Confesso que fiquei um tempo sem ler ou passar por aqui, mas estou lendo “Pai Rico, Pai Pobre” e logo de cara lembrei das coisas que estava aprendendo aqui e hoje me deparo com esse belo artigo que tem tudo a ver com o livro.
Parabéns pelo artigo amigo, estou de volta e agora mais que nunca entendo o que você sempre falou.
Estou procurando formas de mudar meus pensamentos, de fazer o meu dinheiro trabalhar por mim e conseguir a liberdade financeira :).

Obrigado!!!!!!!

Adriana
Visitante
Adriana

Quando fiz terapia ouvi duas frases que me marcaram muito e abriram meus olhos:
a primeira foi: você não muda o mundo, e sim “você” e a sua forma de ver o mundo.
e a segunda: não adianta mudar de lugar e levar junto o mesmo velho pensamento.
Ou mudamos a forma de entender as coisas e assumimos que a responsabilidade pelo que somos é toda nossa ou continuaremos responsabilizando os outros, ficando estagnados no mesmo lugar, reclamando da vida.

Marcelo C Silva
Visitante
Marcelo C Silva

Tem um filme recente muito bom onde um pai criou seus 6 filhos na floresta e os tornou autosuficientes, Capitao Fantastico. Recomendo

Lucas
Visitante
Lucas

Parabéns por mais um excelente artigo! Obrigado!

felipe
Visitante
felipe

Oi Leandro, ótimo texto! Só uma correção, acho que faltou algo nessa frase: ‘Você o em uma máquina’ (quando se referia aos cartões de crédito)

Dalton
Visitante
Dalton

Excelente texto como de costume!

Danielly
Visitante
Danielly

Obrigada por mais um excelente texto Leandro. Me emocionei com a história do Rick. Inspiradora.

Diego Azevedo
Visitante
Diego Azevedo

bom dia Leandro !!!!

Gostaria de te parabenizar pelo extraordinário artigo,sei que muitas pessoas vão te criticar por você ter dito que a escola não é tão essencial na educação de uma crianças,mas para quem tem esse pensamento eu o convido para ler o livro “Pai rico pai pobre” de Robert T. Kiyosaki.Leio seus artigos toda semana e esse foi o que eu mais gostei dentre todos,apesar que os outros são de igual magnitude.
É um prazer imenso fazer parte do Clube dos Poupadores,desde já agradeço.

souza
Visitante
souza

A educação atual não está preparando nossos filhos nem para arrumar um emprego, imagine para as demais questões da vida. Penso até que é um sistema de alienação coletiva. Estou muito preocupado com a educação no Brasil. Somos analfabetos financeiros, emocionais e etc, aceitamos (como nação) tamanha ignorância. Num país em que o estado barra o home scholling, porque quer doutrinar nossos filhos, precisamos criar uma cosmovisão mais ampla da vida, até num simples ato de pagar determinado valor “por um sorvete”. Se o país não muda, mudemos nós nossa cultura. para melhor, a cada dia.

Compartilhe com um amigo