Fundo de Investimento Imobiliário – FII

Estou começando aqui uma série de artigos sobre Fundo de Investimento Imobiliário (FII) que pretendo escrever no Clube dos Poupadores ao longo do tempo. Os FIIs são uma modalidade de investimento em renda variável e que por isto existe mais preparo e conhecimento para reduzir riscos.

Vejo com preocupação a forma como estes fundos são divulgados para os mais leigos. Muitos investidores iniciantes, e com perfil conservador, são atraídos para os Fundos Imobiliários por acreditarem que se trata de um investimento conservador como a compra de imóveis para locação ou mesmo que se trata de uma alternativa para a renda fixa (FII é renda variável).

O investimento direto em imóveis também é arriscado para os leigos, só que a população não tem esta percepção de risco. Quem compra imóveis como investimento, seja para revender mais caro no futuro ou para obter ganhos mensais através de aluguéis, acredita que está fazendo um investimento seguro e conservador.

Na minha opinião os fundos imobiliários e o investimento em imóveis (conheça meu livro) são duas coisas totalmente diferentes e que nem deveriam ser comparados, como a maioria das corretoras e administradores de fundos fazem, para atrair investidores. Este tipo de comparação acaba gerando enorme confusão.

Investir em Fundos Imobiliários se parece mais com o investimento em ações de empresas listadas na Bolsa de Valores (BMF&Bovespa) do que com o investimento direto em imóveis ou com o investimento em fundos de renda fixa, DI, previdenciário, etc.

Investir em FII (Fundo de Investimento Imobiliário) pode ser uma ótima opção de investimento para todos aqueles que sabem exatamente o que estão fazendo. O risco em renda variável existe e sempre será proporcional ao seu nível de educação sobre o investimento. Da mesma forma que existem muitas pessoas que ganham muito dinheiro com renda variável, existem aquelas que perdem muito dinheiro. A diferença entre uma e a outra esta no conhecimento e na experiência que adquiriram previamente.

Por isto, antes de investir em FIIs é muito importante que você dedique tempo para aprender mais e esteja disposto a fazer pequenos investimentos para treinar. Quero te estimular a aprender mais para que possa investir com consciência e liberdade (sem depender de mim).

O que é um Fundo de Investimento Imobiliário

Você deve entender um fundo de investimento como um grupo de pessoas (físicas e jurídicas) que se unem para lucrar investindo em alguma coisa. A base de tudo está na ideia de que uma pessoa sozinha não tem recursos suficientes para aproveitar determinadas oportunidades. Se você une o dinheiro de centenas ou de milhares de investidores em torno de um mesmo objetivo, o poder de agir e de aproveitar as oportunidades aumenta e todos que fazem parte do grupo se beneficiam.

Os Fundos de Investimentos existem para unir milhares de investidores em torno do mesmo objetivo.

Existem fundos de investimento onde os investidores se unem para comprar títulos públicos pós-fixados (Fundos DI), prefixados (Fundos de Renda Fixa), comprar dólares (Fundos Cambiais) e no caso dos Fundos Imobiliários, o foco é o investimento em imóveis.

Um fundo de investimento imobiliário é uma empresa (que possui o próprio CNPJ) no formato de um condomínio fechado com seu patrimônio dividido em cotas que podem ser adquiridas pelos investidores. Sempre existe outra empresa (separada da empresa do Fundo)  que presta o serviço de administração e gestão. Estes administradores precisam atingir objetivos e seguir regras que estão abertamente definidas nos documentos que constituem o fundo. Isto significa que eles não podem fazer o que bem entendem com o dinheiro dos investidores. Muitas decisões também são tomadas através de assembleias, onde os investidores podem participar já que cada cota dá direito a um voto. Tudo passa por auditorias externas, tudo é vigiado pela CVM – Comissão de Valores Mobiliários.

Todo fundo possui objetivos pré-definido que você pode conhecer antes de investir, através de um documentos como o chamado Prospecto que pode ser acessado por qualquer pessoa através do site da BMF&Bovespa ou do site dos administradores/gestores do fundo.

Para exemplificar veja o Prospecto de um fundo chamado BB Progressivo II (BBPO11). Todo fundo possui um nome curto ou um código que simplifica sua identificação. No caso deste fundo este código é BBPO11. (veja o prospecto).

Lendo este documento você perceberá que o objetivo deste fundo é captar recursos dos investidores (através das vendas de cotas do fundo) com objetivo de usar este dinheiro para comprar imóveis que posteriormente serão alugados para o Banco do Brasil por no mínimo 10 anos, podendo ser renovado. Se não for renovado o fundo pode alugar o imóvel para outra empresa.

Na verdade, muitos dos imóveis deste fundo já faziam parte do patrimônio do Banco do Brasil. Eram agências bancárias e prédios com escritórios que já estavam sendo utilizados pelo banco. Para o BB foi mais vantajoso vender os imóveis para o fundo e logo depois assinar um contrato de locação com o mesmo. O dinheiro que estava imobilizado nos imóveis, agora pode ser usado em outros negócios mais lucrativos do banco. O “coordenador líder” do fundo é o Banco do Brasil Investimentos (braço do Banco do Brasil). O administrador / gestor do fundo é a Votorantim Asset (braço do Grupo Votorantim que era do falecido Antônio Ermírio de Moraes). A empresa que administra o fundo é remunerada por isto através da cobrança de uma taxa administrativa. Esta taxa e outros custos operacionais do fundo são descontados dos lucros antes de serem distribuídos entre os que compraram suas cotas.

Atualmente este fundo possui 64 imóveis alugados para o Banco do Brasil (a maioria são agências bancárias). Você pode ver o nome das agências, endereço, estado e cidade visitando aqui. Se clicar em “+ Ver Detalhes” do lado de cada imóvel será possível acessar outras informações como valor do aluguel, valor de aquisição, laudo de reavaliação do imóvel e até poderá acessar a copia da escritura do imóvel.

Para investir em um fundo imobiliário você pode fazer o investimento no momento em que o fundo é lançado (oferta pública) através de uma corretora (veja material publicitário) ou comprando cotas de pessoas que possuem cotas e que agora desejam vende-las (mercado secundário).

No caso deste fundo, você só poderá comprar as cotas de terceiros, através de uma corretora utilizando o mesmo procedimento adotado para comprar e vender ações. O código  identifica o fundo e o preço desta cota pode variar muito durante o dia, pois depende das leis de oferta e demanda. Isto significa que quando muitas pessoas querem vender e poucas querem comprar, o preço da cota cai. Quando poucas pessoas querem vender em relação ao número de pessoa que querem comprar, o preço da cota sobe.

Veja as variações de preços mínimo, máximo e médio nos meses anteriores visitando aqui. Nesta outra página aqui você pode ver a variação diária dos preços das cotas. No site da Exame você pode ver gráficos e cotações do fundo, veja aqui.

Quando o fundo BBPO11 foi lançado, o preço de cada cota era de R$ 100,00 e o investimento mínimo era de R$ 2.000,00. Desta forma, para se tornar cotista do fundo e ter direito de receber uma parte dos aluguéis das agências do BB era necessário comprar 20 cotas onde cada uma custaria R$ 100,00, totalizando R$ 2.000,00.

Todos os meses eles divulgam a “Distribuição de Proventos” onde diz quanto e quando cada cotista receberá seus ganhos por cada cota. Veja como exemplo o documento divulgado em setembro/2014 onde ficou determinado que cada cotista receberia R$ 0,80 por cota. (visite aqui). Estes documentos são divulgados mensalmente nesta página aqui clicando na opção + Proventos. Observe que estas receitas mensais não são fixas e pode variar de um mês para o outro pois depende do resultado apurado pelo fundo através da suas receitas e despesas naquele mês.

Se você tivesse comprado 100 cotas quando o preço da cota era R$ 100,00 teria investido inicialmente R$ 10.000,00 e receberia agora em outubro R$ 80,00, pois em setembro o valor distribuído por cota foi de R$ 0,80 (100 x 0,80 = R$ 80,00). Estes R$ 80,00 cairiam na sua conta na corretora no dia 14/10 como mostra o comunicado de setembro.

Desta forma sua rentabilidade líquida seria de 0,8%. Para pessoas físicas não existe cobrança de Imposto de Renda sobre estes proventos mensais. A melhor estratégia para fundos imobiliários é focar nas receitas mensais. Você poderia usar estes R$ 80,00 para comprar mais cotas deste ou de outros fundos. Com o passar do tempo você teria cada vez mais cotas (reinvestindo os ganhos) e com isto teria direito a receber cada vez mais aluguéis.

Você já deve ter percebido que investir em Fundos Imobiliários é mais vantajoso quando você consegue adquirir as cotas quando elas estão baratas. Quem comprou as cotas por R$ 92,54 (menor preço registrado nos últimos 12 meses para este fundo BBPO11) e recebeu R$ 0,80 teve uma rentabilidade de 0,86%. Quem comprar a cota agora por R$ 108,00 e receber R$ 0,80 terá uma rentabilidade menor.

A lógica da coisa é semelhante quando você procura um imóvel para comprar e depois alugar. Se você comprar um imóvel pronto por R$ 200 mil, no momento que os preços estão altos, e alugar por R$ 1.000,00 sua rentabilidade será pequena se comparado com outra pessoa que comprou o mesmo imóvel por R$ 150 mil, quando os preços estavam baixos, e agora aluga pelos mesmos R$ 1.000,00

É por isto que nos momentos de crise, muitos investidores aproveitam a oportunidade para comprar imóveis baratos para depois serem locados. A mesma ideia pode ser utilizada nos fundos imobiliários e na compra de ações na bolsa de valores. É no momento de crise que os fundos imobiliários e as ações das empresas estão com bons preços.

Melhor momento para investir em FIIs

Existem momentos bons e ruins para investir em Fundos de Investimentos Imobiliários. Não precisa ser experiente para entender qual é o melhor momento. Para investir bem você precisa comprar cotas por bons preços. Existem momentos em que o preço das cotas estão em queda livre e em outros estão em crescimento.

No gráfico acima é possível observar que existe uma relação inversa entre os juros básicos da economia (Taxa Selic) e o preço das cotas dos fundos imobiliários.

  • Juros baixos estimulam os investidores a assumirem mais riscos para obterem rentabilidades melhores. Eles migram da renda fixa (que está rendendo pouco) para as ações, fundos imobiliários, imóveis e o empreendedorismo (abertura de empresas e franquias) e se beneficiam quando os juros estão menores.
  • Juros altos estimulam os investidores a migrarem de investimentos de risco (ações, fundos imobiliários, imóveis e empreendedorismo) para os investimentos de renda fixa que são mais seguros e oferecem boas rentabilidades quando a Selic está elevada.

Para entender por quais motivos o Banco Central aumenta ou reduz a Taxa Selic veja o artigo que escrevi sobre o Copom.

Quando os juros estão baixos a economia tende a crescer (o PIB cresce). Deixar o dinheiro investido em renda fixa (CDB, LCI, LCA) e títulos públicos se torna desvantajoso quando os juros estão em queda. Para obter uma rentabilidade maior, os investidores começam a aceitar correr mais riscos em uma parcela maior de seus investimentos. No mundo dos investimentos, correr riscos significa investir em empresas.

Você pode investir em empresas de diversas formas. Você pode abrir uma ou ampliar a sua. Você pode se tornar sócio de uma empresa comprando ações na bolsa de valores. No setor imobiliário, você pode empreender comprando terrenos para construir e vender imóveis. Você pode comprar imóveis na planta para vender quando estiverem prontos. Você também pode comprar cotas de fundos de investimento imobiliário que irão usar seu dinheiro para construir ou comprar imóveis para alugar. Observe que quando os juros estão baixos ou em queda, todos os investimentos relacionados com o empreendedorismo tendem a se tornar vantajosos e muito valorizados.

No momento em que escrevo este artigo (outubro/2014) a taxa Selic está andando de lado por culpa das eleições.  O atual governo está segurando o aumento da Selic para evitar que a alta dos juros seja utilizada pelo candidato de oposição como argumento de que a economia não vai bem. Como a inflação continua elevada, é provável que os juros voltem a subir ainda em 2014 ou em 2015. Aumento nos juros gera impacto negativo no preço das cotas da maioria dos fundos. Quem já tem cotas vai se sentir motivado a vendê-las para aproveitar os juros elevados na renda fixa no curto prazo. Quem está de fora pode aproveitar uma eventual queda no preço das cotas para comprar bons fundos, pensando no longo prazo e nas receitas geradas com a distribuição de lucros do fundo.

Qual fundo comprar?

Aqui é onde mora o segredo de ganhar ou perder dinheiro em fundos imobiliários. No momento em que escrevo este artigo já existem mais de 100 fundos imobiliários. Estes fundos possuem características muito diferentes. É humanamente impossível acompanhar diariamente os 102 fundos para identificar quais são os melhores para investir neste exato momento.

Existem fundos que só investem em locação de Agências Bancárias, Salas e Lages Comerciais, Hospitais, Hotéis, Galpões, Imóveis Residenciais, Shoppings, Universidades/Escolas, etc. Existem fundos que só possuem um único imóvel e outros que possuem centenas de imóveis em diversas localidades. Alguns fundos são híbridos e por isto investem em diversos imóveis de categorias diferentes. Existem fundos de fundos, ou seja, fundos imobiliários que investem comprando cotas de outros fundos imobiliários. O valor das cotas dos fundos e suas receitas mensais podem se comportar de maneira totalmente diferente diante de determinados cenários da economia.

Alguns fundos possuem gestores competentes e que fazem um bom trabalho gerando uma renda estável para os cotistas. Existem fundos com gestores ruins que tomam decisões ruins e que transformam seus fundos em péssimos negócios. Como identificar bons fundos? Como acompanhar o desempenho de bons fundos se você tem mais o que fazer na sua vida?

Este é o mesmo problema enfrentado por quem investe em ações. Eu, pessoalmente, não tenho tempo para ficar avaliando o desempenho das empresas ou dos fundos imobiliários. Na verdade nem os investidores profissionais gastam o tempo deles avaliando fundo por fundo, empresa por empresa. São muitos balanços, comunicados, notícias e relatórios circulando diariamente. Alguém precisa fazer este trabalho, consumindo grandes quantidades de informações diárias para gerar relatórios resumidos e objetivos. Este é o trabalho dos analistas que trabalham em corretoras ou em casas independentes de análise.

Com um pouco de conhecimento você será capaz de ler estes relatórios para tirar suas próprias conclusões sobre investir aqui ou ali, investir agora ou depois, quanto investir e se vale a pena correr os riscos ou aproveitar oportunidades. Observe que existe uma enorme diferença entre investir cegamente, aceitando as recomendações de um analista de investimentos e ter conhecimentos básicos que permitam avaliar a opinião e os fundamentos técnicos propostos pelo analista para chegar naquela recomendação.

Eu acredito que uma alta nos juros depois das eleições, com objetivo de controlar a inflação (que está descontrolada, apesar do governo não admitir), pode gerar boas oportunidades para quem pretende investir em alguns tipos de fundos imobiliários com foco no longo prazo.

Por isto eu acho que este é o momento para que você invista na sua educação, para que possa estar preparado para o “dia das compras”. O mesmo acontece em relação aos investimentos em imóveis reais. Juros elevados e inflação elevada dificulta a vida de quem está precisando vender um imóvel neste momento. Faz tempo que não vejo tantos imóveis à venda e tanta gente precisando vender seus imóveis ao mesmo tempo. Em algumas regiões do Brasil os preços já estão caindo e o número de distratos aumentando. As construtoras chamam a queda dos preços de descontos, promoções,  feirões, saldões, etc. Só que isto tem outro nome, se chama desvalorização de imóveis prontos. Não invista em nada sem antes se preparar para poder tomar suas próprias decisões com consciência.


Receba um e-mail quando novos artigos forem publicado, inscreva-se no Clube dos Poupadores. Ative as notificações no seu navegador clicando aqui ou no sino vermelho no canto inferior direito desta página

Sobre o Autor:

Leandro Ávila é educador financeiro formado em administração de empresas e especializado em investimentos. Por acreditar que a educação financeira pode transformar vidas, criou o Clube dos Poupadores para compartilhar seus artigos e livros sobre Independência FinanceiraInvestimentos em AçõesInvestimentos em Títulos PúblicosInvestimentos em CDB, LCI e LCA, e em Imóveis.
newest oldest
Diego
Visitante
Diego

Sensacional, já tinha lido sobre FII em outras diversas fontes, mas a forma em que você escreve Leandro faz tudo parecer mais fácil. Invejo demais sua capacidade redacional, rsrsrs. Obrigado por me despertar a curiosidade sobre as diversas formas de investir meu dinheiro. Seu blog foi meu maior achado este ano. No aguardo dos seus próximos artigos.

altamiro
Visitante
altamiro

gostei,agora despertou interesse.obrigado pela orientação

Jose Americo
Visitante
Jose Americo

Leandro,

Mais uma vez tenho de só te parabenizar com a clara e transparente explicação sobre as leis de mercado que regem o valor das cotas de um FII. Até hoje não fiz nenhum investimento nesta modalidade, mas vou acompanhar ansiosamente seus próximos artigos sobre esta modalidade de investimento, pois pretendo diversificar meus investimentos visando minha aposentadoria.

Mais uma vez parabéns.

Felix
Visitante
Felix

Conhecimento nunca eh demais, obrigado e parabens pelo bom trabalho.

PS: Você pretende falar da tributação das cotas dos fii’s?

Recebi info abaixo essa semana da corretora

Tratamento Tributário do Cotista
 
Quando das distribuições de rendimentos aos cotistas, que são realizadas sempre em dinheiro, há a retenção de 20% a título de Imposto de Renda, qualquer que seja o cotista.

Isenção de Imposto de Renda para Pessoas Físicas:
 
A Lei 11.196/05 estendeu os benefícios do inciso III do artigo 3º da Lei 11.033/04, de isenção do Imposto de Renda sobre as distribuições pagas a cotistas Pessoa Física, nas seguintes condições:

1- O cotista beneficiado tem que ter menos do que 10% das cotas do Fundo;
2 – O Fundo tem que ter, no mínimo, 50 cotistas; e
3 – As cotas do Fundo têm que ser negociadas exclusivamente em Bolsa ou mercado de balcão organizado.

No caso de ganho de capital que o cotista porventura obtiver na venda de cotas, atualmente, qualquer que seja o contribuinte, há tributação á alíquota de 20%.
 
Importante: Para fundos imobiliários não há isenção de IR, para vendas abaixo de R$20.000,00 no mês.

Leandro
Visitante
Leandro

Excelente amigo! Comecei a ler sobre FIIs. Vi em alguns sites mas não achei algo muito claro. S dúvida que me assombra agora: os rendimentos e não possa resgatar em dinheiro? Dinheiro somente se eu vender as cotas? Não tem imposto sobre os rendimentos, mas somente quando vendo as cotas, esta condição me torna escravo do FIIs? Selic alta: LCI ou FIIs num horizonte de até 05 anos?
Acho que LCI/LCA imbatível no momento. Ganha até do TD? Essa minha afirmação, como pequeno investidor e sem tempo de daytrade etc, é corrreta?
Sua simplicidade em transmitir o conhecimento é que mais admiro no seu Blog!! Parabéns!!!!

Rogerio Marchetti
Visitante
Rogerio Marchetti

Olá Leandro tudo bem. A titulo de curiosidade baixei o prospecto do link acima. E a perguta pode ser um pouco absurda, mas é necessário ler o prospecto iteiro (432 páginas)? Ou existe alguma técnica para ir direto a o que importa? pois no meu caso ate que eu termine de ler o prospecto as cotas já teriam sido todas vendidas.
Um abraço.

Ronne
Visitante
Ronne

Mais uma vez, muito obrigado pela aula e pelos esclarecimentos aqui mostrados.
Sinto-me privilegiado de ser um leitor assíduo do Clube dos Poupadores.
Fiquei interessado também sobre a xp Investimentos. Você, como tem conta lá, pode falar um pouco sobre os custos de operação e vantagens/desvantagens dessa corretora, dando sua valiosa opinião?
Abraços,

Décio Muniz
Visitante
Décio Muniz

Ótimo artigo Leandro. Gostaria de saber um pouco mais sobre o FIXX11. Obrigado.

Leandro
Visitante
Leandro

Olá Xará!

Depois que descobri o seu Blog, estou cada fez mais educado financeiramente. rsrs

Muito obrigado! Seus artigos são sempre excelente! Não tenho participado muito dos comentários, mas leio todos os seus artigos.

Esse artigo caiu como uma luva, principalmente o vídeo, em um momento que estou passando. Minha família tem um imóvel que estava alugado. Ele foi entregue recentemente e estávamos em dúvida se colocaríamos para alugar de novo ou se venderíamos para tentar um outro investimento. Mas qual investimento? A questão é que com esse imóvel tínhamos uma renda mensal de R$ 400,00 e essa renda mensal é fundamental para a minha família. Então acho que os FII’s seriam uma boa opção para termos uma renda mensal, além de ter o montante investido valorizado a longo prazo. Seria isso?

Como faço pra saber se conseguiríamos obter essa renda mensal de R$ 400,00? Quanto eu deveria investir em FII? Possivelmente só conseguirei vender esse imóvel por algo próximo de 100 mil.

Abs,

Leandro.

CORNELIUS OKWUDILI EZEOKEKE
Visitante
CORNELIUS OKWUDILI EZEOKEKE

Oi Leandro,bom dia dia ! Prazer está aqui novamente,buscando conhecimento. Quero te parabenizar pelo seu trabalho,que tem me ajudado bastante. Sou pequeno investidor,com objetivo de me tornar grande investidor. Já estou na BOVESPA há quatro anos,investindo em AÇÕES e TESOURO DIRETO. Quero diversificar ainda mais ! Através desse blog,reconheci a importância de diversificação. Assim que puder,pretendo agregar nos investimentos LCA/LCI e posteriormente nos FII também. A dúvida que tenho é em relação as escolhas dos FII,S ? Com quanto no mínimo devo ter para começar investir ? Quantos FII devo ter na carteira ?. Os meus objetivos de investimentos são para viver de renda,ou seja de longo prazo. Muito obrigado pela atenção.!

Gonçalo
Visitante
Gonçalo

Sim, Leandro, seus textos são ótimos, você é muito didático!! Parabéns!! Pena que já investi em imóvel e tô no grupo dos que querem vender. Abraços!!

Flavio Faga
Visitante
Flavio Faga

Tem um blog muito bom de fundos imobiliários, com grupos de discussão, e também assinatura de produtos. Para quem tiver interesse: http://tetzner.wordpress.com/

Laura Santos
Visitante
Laura Santos

Leandro, boa tarde! Sou sua fã, pois estou aprendendo muito com seus artigos, e tentando entender como funciona as varias aplicações existentes a nosso favor, pois o que sempre aprendemos era fazer uma poupança para garantir nosso futuro. Obrigada.

CORNELIUS OKWUDILI EZEOKEKE
Visitante
CORNELIUS OKWUDILI EZEOKEKE

Obrigado Leandro pela resposta! Estarei estudando sobre os FII,s e os demais modalidades como venho fazendo,assim que tomo consciência da sua existência !
Valeu e bom trabalho!!!!

Jesseh Rodrigues
Visitante
Jesseh Rodrigues

Boa tarde…

Atualmente, em que fundos voce estah investindo?

Pergunto-lhe pq vc citou o BBP011 que estah disponivel para correntista do Banco do Brasil, tais como eu, e estou pensando em investir minha restituicao de IR cotas deste fundo…

O que voce me diz?

Abs

Rafael Machado
Visitante
Rafael Machado

Obrigado Leandro, estava com uma dificuldade imensa em relação a Fundos Imobiliários e até em Fundos de Ações, no momento não sei como avaliá-los, e nem sei ao certo quando devo comprá-los.

Se puder estender esse artigo para Fundos de Ações, eu agradeceria.

Abraço!

Ralph
Visitante
Ralph

Muito bom o artigo, parabéns ! Feito para nós iniciantes em investimentos! Aguardo novos comentários e explicações!

Fábio
Visitante
Fábio

Muito bom, estava sentindo falta de um artigo sobre FII…Abçs

Silvio
Visitante
Silvio

Prezado Leandro,
Meus parabéns pelos artigos de ótima qualidade!

Pelo o que entendi, o repasse mensal dos valores de aluguel aos cotistas são isentos de IR para pessoa física. Assim sendo, na declaração anual de imposto de renda, esta remuneração deverá ser preenchida como rendimento não tributável a exemplo dos rendimentos da poupança?

Obrigado!

Jesseh Rodrigues
Visitante
Jesseh Rodrigues

Vlw… Leandro… Bons investimentos… abracos

Reynario
Visitante
Reynario

Otimo artigo, me tirou algumas duvidas sobra FII, ainda estou montando minha estrategia e ajustando meu orçamento mensal para começa a investir em Dezembro ou Janeiro. Sempre é bom estudar um pouco mais antes de por a mão na massa.

Gostei de saber que você esta assinando o relatorio da empiricus sobre os Fundos imobiliarios, estou pensando em assinar esse o combo Warren Buffet para me economizar algum tempo.

Cássia
Visitante
Cássia

Parabéns Leandro!!

Cada dia torno-me mais sua fã! Com seu blog tenho aprendido sobre como me organizar com o dinheiro e valorizar ainda mais a vida! Parabéns pela forma como aplica o conhecimento e transmite de uma forma muito didática e nos atende com muita atenção e gentileza. Sinto-me imensamente segura com suas orientações!! Parabéns!!! Help me in box, novamente, rsrsrsr!!!

Mateus
Visitante
Mateus

Muito esclarecedor!!! O “estouro” da bolha no mercado imobiliário teria um impacto muito desastroso nesses fundos?

Jorge Franco
Visitante
Jorge Franco

Leandro, realmente sua maneiea direta de explicar o assunto serve de estimulo para a continuidade do nosso aprendizado! Parabéns e continue “firme” no leme das orientações! Obrigado!

marcos araujo
Visitante
marcos araujo

apostar em corretoras de grandes bancos como itau, bradesco bb para gerir seus investimentos significa menor risco de perdas?

Nelson
Visitante
Nelson

Olá Leandro. Mais uma vez você foi brilhante na exposição a que se propunha. Lógico que ficam várias dúvidas, mas como você mesmo disse só com bastante estudo e, inicialmente, pequenas aplicações para ir conhecendo as peculiaridades desse mercado; será possível, no futuro, ganhar dinheiro nesse tipo de aplicação por conta própria. Fico ansioso aguardando os próximos artigos.
Um abraço,
Nelson

Levi Chagas
Visitante
Levi Chagas

Leandro, Para um cara que não possui muito experiencia em FII voce acha que seria uma boa opção fazer um investimento de 200,00 (2 Cotas) para ganha experiencia? ou deveria eu pesquisa e ter uma certeza maior?

No momento irei iniciar no Tesouro Direto e participo de um simulado da FolhaInvest sobre ações.

Att,

Levi Chagas…

Levi
Visitante
Levi

Leandro, Boa Tarde!

Voce acha que para ganha experiencia sobre esse tipo de investimento e bom iniciar com quantos mais ou menos? ou devo conhecer melhor, pós admito e sou um iniciante nesse assunto.

pois estou iniciando no Tesouro Direto e participo de um simulado na net da FolhaInvest.

Att,

Levi Chagas

Gustavo
Visitante
Gustavo

Leandro, até o fim do ano pretendo comprar 2 dos seus livros no combo promocional: O Livro Negro dos Imóveis e Como Investir em Imóveis. Este último aborda também os FII ou apenas as formas mais “tradicionais” de se investir em imóveis? Abraço.

Izabela
Visitante
Izabela

Olá Leandro, quero parabenizar pelo site! Estou tomando gosto em ler e aprender sobre economia e finanças pessoais, o que evitava antes, por considerar um assunto chato e de difícil entendimento. Obrigada pelo entusiasmo e siga em frente nessa sua missão que considero tão importante e transformadora!

Akram
Visitante
Akram

Boa Noite Leandro,

Tenho algumas dúvidas sobre FII, se você puder me ajudar, ficarei muito grato.

Considerando que uma pessoa venda um imóvel e compre 2.000 cotas do FII BBPO11 a R$104,00 a cota, obtendo um rendimento mensal de R$0,80 por cota, o que equivalente a R$1.600,00 por mês, reajustado anualmente pelo IGPM .

1- Na prática essa pessoa pode utilizar, para resto da vida, os proventos de R$1.600,00 recebidos mensalmente, para complementar a renda familiar?

2- O que acontece depois 10 anos, quando terminam os contratos de locação das agências?

3- Os imóveis integrantes do BBPO11 poderão ser reavaliados a preço de mercado?

4- Existem outros riscos de perda parcial ou total de proventos que devemos avaliar?

Marcelo
Visitante
Marcelo

Boa trade. Existe a possibilidade de se perder todo o dinheiro investido em FII´s?

Gonçalo
Visitante
Roger
Visitante
Roger

Bom dia. Gosto muito das dicas de como investir publicadas aqui, meus agradecimentos ao Sr. Leandro Ávila pelas informações aqui prestadas. Gostaria que me tirasse uma dúvida de como se faz as compras de cotas de FII´s, é da mesma forma que as ações, através de Home Broker? As taxas cobradas pelas corretoras são mensais?

Gonçalo
Visitante
Gonçalo

quis dizer “startero”

Murillo
Visitante
Murillo

Olá Leandro, tudo bem?

Parabéns pelo seu blog!!!Vc faz um trabalho muito bom para a sociedade, pois multiplica de forma muito simples o conhecimento de finanças pessoais, ajudando a diminuir a quantidade de família endividadas.

Quanto ao assunto de FII, vc sabe me dizer se existe algum FII que reinveste automaticamente os rendimentos mensais?Estou pensando no custo da manutenção da minha carteira em FII, uma vez que será cobrado corretagem toda vez que eu for reinvestir meu rendimento mensal em novas cotas.O que acha?

Abs

Murillo

Thiago Ferreira
Visitante
Thiago Ferreira

Leandro, estou ávido pelos próximos artigos sobre FII.
Este tipo de fundo também tem o “come-cotas”?
Abraços,
Thiago

José Rafael
Visitante
José Rafael

Olá Leandro. Ótimo artigo! Como sempre! Num período de alta de juros como estamos passando, parecem surgir as melhores oportunidades tanto na renda fixa (tesouro direto) quanto nos FIIs. Difícil decidir em qual investimento aplicar os maiores recursos. Espero por mais artigos sobre FIIs. Muito obrigado pelo artigo. Abraço!

Mvga5
Visitante
Mvga5

Olá, boa noite.

Gostaria de saber se há alguma ‘quantia mínima’ para se começar a investir em FII’s.
Sei que isso é muito relativo, mas é só para termos uma ideia. Sem esquecer dos custos da corretora, que fica na faixa de uns 30 reais mensais.

Aí minha pergunta é:
É possível investir em FII’s começando aos poucos, e aumentando a quantidade de cotas mensalmente?
Por exemplo, começo esse mês, compro umas 5 cotas de 3 fundos diferentes, gastando em torno de 300 reais. Aí mês que vem, compro mais cotas, e assim por diante.

Até que ponto, o “lucro” começa a aparecer, levando em conta as taxas, já que estamos falando de um percentual alto de taxas, comparado ao baixo investimento inicial.

Espero que a pergunta não tenha ficado muito confusa rs
Agradeço desde já!

Favarão
Visitante
Favarão

FII são incriveis! É o gostinho de renda variavel com a sensação de segurança da renda fixa (não tem tanta volatilidade)
tambem são mais faceis de entender e acompanhar, na maioria dos casos, por exemplo um Fundo de tijolos tipo shopping como vi o pessoal chamando, a arrecadação vem dos alugueis das lojas e tambem do estacionamento.
A localização tambem é importante e para conhecer o ativo não precisa ficar olhando balanços de anos ou a evolução resultados financeiros.
Basta dar uma passada no lugar, e “sentir” o ambiente, o que está infinitamente mais proximo da realidade de pequenos investidores do que analises tecnicas de empresas.
Enfim, são muitos detalhes e no geral nunca se deve comprar apenas as cotas, tem que analisar o todo, mas no fim é algo possivel de se fazer.

O mais motivador é sem duvidas o fato de ser acessivel. Existem boas cotas que são negociadas por volta 100 reais, você recebe o aluguel e ainda pode ganhar na venda da cota um dia.
E a burocracia é bem menor, os rendimentos (ainda) não tem dedução de impostos e custos de operação são bem reduzidos.
Quando falei para meus pais que não queria comprar uma casa, que preferia comprar um shopping, eles acharam q estava louco hahaha.

Guilherme De Lucia Rabelo
Visitante
Guilherme De Lucia Rabelo

Com certeza o Clube dos Poupadores está salvo nos meus Favoritos.

Regina
Visitante
Regina

Olá Leandro,

Tenho uma dúvida, se for possível me responder ficarei muito grata.
O que seria vender um FII a preço de mercado? Seria o valor de 1 cota? Se 1 cota hoje vale 103,00, teria que vender a esse valor?

Agradeço desde já!

Junte-se a mais de 250.000 leitores
Inscreva-se
Seja o primeiro a receber novos artigo no seu e-mail:
Experimente, é grátis e você pode cancelar a inscrição a qualquer momento.
close-link

Compartilhe com um amigo